https://www.poetris.com/
 
Textos -> Outros : 

Morrera-se...

 
Assomou-se-me ao vidro da janela, madrugada adentro. Trazia no rosto o pavor de uma criança assustada e nas mãos o sangue ainda quente a escorrer-lhe em bica da ponta dos dedos. No chão, um carreiro vermelho de pequenas pingas anunciava em silêncio o rasto de um insólito crime que acabara de acontecer, ali mesmo, no outro lado da esquina dobrada. Um crime, cuja lucidez do autor o obrigara antes a se implorar aos pés de si mesmo! E em cada palavra que escrevia, era como se uma espada o trespassasse até ao fundo de si, definhando no verbo, morrendo-se...


*... vivo na renovação dos sentidos, junto da antiguidade das lembranças, em frente das emoções...»

Impulsos

coisa pouca

 
Autor
cleo
Autor
 
Texto
Data
Leituras
662
Favoritos
1
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
12 pontos
4
0
1
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 09/01/2012 09:16  Atualizado: 09/01/2012 09:16
 Re: Morrera-se...
Querida Cleo, obrigado por esta mão que me estendeste na madrugada.


Enviado por Tópico
martisns
Publicado: 09/01/2012 12:24  Atualizado: 09/01/2012 12:24
Colaborador
Usuário desde: 13/07/2010
Localidade:
Mensagens: 29310
 Re: Morrera-se...
UM ENCANTO DE POEMA, QUE MARAVILHA.

JOSÉ CARLOS RIBEIRO

Enviado por Tópico
HelenDeRose
Publicado: 09/01/2012 12:59  Atualizado: 09/01/2012 12:59
Usuário desde: 06/08/2009
Localidade: Sorocaba - SP - Brasil
Mensagens: 2092
 Re: Morrera-se...
Lindo gesto Cleo. De repente tudo vestiu perfeitamente em mim, hoje. Muito bom ler você.

Que você tenha dias salutares!


Helen.