https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

Maria de Jesus

 
Maria de Jesus

Fresquinha, correndo buliçosa, a bengala toc-toc
Ui! Lá vem ela, a tagarela, parece sempre apressada
De mesa em mesa saltita, parece- me um gafanhoto!
Na mesa? Alimenta a bateria e fica mais activada!

La vai ela poderosa! Correndo mais uma vez
Cheia de garra, corre à capela, vai o terço recitar.
Depois,voa, não molenga! ó que môça garganêra?
(esqueceu), aquele jêto manêro, que lhe é peculiar?!

Boletas! Quem fica zonza sou eu, com a Bia marafada
Nem parece alentejana pois, põe tudo em alvoroço.
Mas o nosso duo é giro,tem traça! ora tal está a moenga!
Ó! Jesus, achai me graça! Não me torceis pescoço!

Helena

 
Autor
Volena
Autor
 
Texto
Data
Leituras
765
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
4 pontos
4
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 12/01/2013 17:04  Atualizado: 12/01/2013 17:04
 Re: Maria de Jesus
Um bonito relato Volena em forma de poema decifrando assim "Maria de Jesus" como uma mulher muito trabalhadora e com tempo ainda para "recitar o terço".
Há mulheres assim.
abraços
Luzia


Enviado por Tópico
martisns
Publicado: 12/01/2013 17:13  Atualizado: 12/01/2013 17:13
Colaborador
Usuário desde: 13/07/2010
Localidade:
Mensagens: 29201
 Re: Maria de Jesus
Um escrita encantado as ladainhas, belissimo