https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

A ceifa

 
A ceifa

Moçoilas, robustas, sãs,
manga arregaçada
suadas, lindas,
coradas como romãs.
Andam por entre
ondas, de searas.
La de longe, só
a cabeça passa rente,
como no mar
está perdido
um sobrevivente.
Das espigas emerge
a foice cegando
as espigas doiradas,
como um alfange.
Não há cansaço
cantam cantigas,
que foram recolhidas
num velho calhamaço.
Á sombra do chaparro
merendam, bebem
àgua fresquinha
da bilha de barro.
Quando acaba a jorna
vem o grupo
alegre, arrulhando
e a casa torna.
Louvam as ceifeiras
poetas e pintores.
Robustas flores,
papoilas garridas.

Vólena

 
Autor
Volena
Autor
 
Texto
Data
Leituras
1159
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
6 pontos
6
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
JPAnunciação
Publicado: 25/03/2013 16:33  Atualizado: 25/03/2013 16:33
Luso de Ouro
Usuário desde: 18/06/2008
Localidade: Évora / Lisboa
Mensagens: 250
 Re: A ceifa
Querida Volena,

Uma cadência perfeita ao ritmo da ceifa deste poema.

Um beijo grande,
João Paulo


Enviado por Tópico
velhopescador
Publicado: 16/05/2013 17:03  Atualizado: 16/05/2013 17:03
Colaborador
Usuário desde: 01/03/2013
Localidade: Marília-SP Brasil
Mensagens: 1098
 Re: A ceifa
Ora, Senhora Vólena.

Me perdoe por me aprofundar na leitura dos teus escritos.
São tantas coisas boas, limpas, lindas!
Um verdadeiro tesouro.

Parabéns
><>


Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 16/05/2013 17:32  Atualizado: 16/05/2013 17:32
 Re: A ceifa
Cara Volena

Há muita pureza e doçura nos seus versos!

Parabéns!

bj

Angela