https://www.poetris.com/
 
Poemas -> Amor : 

Venero-te Inexplicavelmente

 
Tags:  2008  
 

Sou a asa escrava do teu sorriso puro,
Tudo no meu espírito se foca,
Neste canto prenunciamos em coro,
Nesta moleza pouca.

Não sei se adoro-te ou desprezo-te
Mas acho que venero-te Inexplicavelmente
Somente o olhar petulante invade o meu sonho
Só tenho um vocábulo para isto odeio, amar-te
Mas quero–te intencionalmente.

As minhas lágrimas secaram,
O sofrimento devora-se no meu existir,
As feridas profundas desvaneceram,
Mas por mais que exercite a dor avassala o meu coração.

Ana Carina Osório Relvas/A.C.O.R


Meu 1º Poema, 2008



A felicidade são pequenos sorrisos de determinados momentos
Ana Carina Osório Relvas/acor

https://acor13.blogspot.com/



 
Autor
A.C.O.R
Autor
 
Texto
Data
Leituras
1170
Favoritos
2
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
27 pontos
3
4
2
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
martims
Publicado: 20/05/2014 15:23  Atualizado: 20/05/2014 15:23
Colaborador
Usuário desde: 12/08/2013
Localidade:
Mensagens: 6796
 Re: Venero-te Inexplicavelmente
Aquele olhar que invade nossos sonhos no mais pleno existir. O espirito do amor em nosso ser, um belíssimo poema


Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 29/03/2017 17:14  Atualizado: 29/03/2017 17:14
 Re: Venero-te Inexplicavelmente
A poesia não morre...

A poesia tem o poder de eternizar os sentimentos
Como uma fotografia...
Com o tempo o papel perde a cor
Mas em algum lugar...
As palavras saltarão
E renascerão, trazendo de volta um passado,
Ou quem sabe, fazendo brotar uma nova emoção.

Reff Carvalho