Sonetos : 

MUMIFICADO

 
Tags:  SONETOS 2002  
 
MUMIFICADO

Vivi por anos como se a ocultar
Murcho cadáver dentro d'um armário.
Isto, ao menos em meu imaginário,
Expressava constante mal-estar.

Era como se fosse embalsamar
A intimidade em todo pensar vário...
Não havia ali refúgios, ao contrário,
A minha casa nunca fora um lar.

Confesso ser tal vida aquela piada
Na qual não se consegue mais ver graça,
Por repetidas vezes mal contada.

Segreda ao íntimo dor que me perpassa
Pelo péssimo encontro a cada dia,
Pois eu mesmo o cadáver que escondia.

Betim – 20 10 2002


Ubi caritas est vera
Deus ibi est.


 
Autor
RicardoC
Autor
 
Texto
Data
Leituras
107
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
0 pontos
0
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.