https://www.poetris.com/
Sonetos : 

FESTINS

 
FESTINS

A parca luz presente nos jardins
permite que perceba seus livores:
hortênsias, margaridas e jasmins
surradas pelo ocaso dos amores.

Como alucinações soam clarins
anunciando o fim das doces flores.
Motejam os algozes em festins
regados pela chuva de plangores.

Golpeiam-me afiados pedregais
abrindo muitas fendas doloridas
nos pés que as aflições não querem mais.

Latejam sem parar minhas feridas
porque já se aproximam os umbrais
das celas, lares d'almas iludidas.


Jerson Brito

 
Autor
jersonbrito
 
Texto
Data
Leituras
36
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
4 pontos
2
1
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Gyl
Publicado: 11/10/2017 16:33  Atualizado: 11/10/2017 16:33
Membro de honra
Usuário desde: 08/08/2009
Localidade: Brasil
Mensagens: 12557
 Re: FESTINS
Versos saborosos, ritmados e heróico. Parabéns pelo domínio dessa arte tão difícil é que exige muito de quem a faz. Abraços!

Enviado por Tópico
martisns
Publicado: 16/10/2017 11:47  Atualizado: 16/10/2017 11:47
Colaborador
Usuário desde: 13/07/2010
Localidade:
Mensagens: 27426
 Re: FESTINS
Letras cadenciadas pelos instantes onde os ventos tocam na essência de uma escrita maravilhosa