https://www.poetris.com/
Poemas -> Tristeza : 

CARNAVALESCO SOB PRESSÃO

 
Tags:  poema  
 
CARNAVALESCO SOB PRESSÃO
 
CARNAVALESCO SOB PRESSÃO
(Jairo Nunes Bezerra)

As serpentinas não visitaram o meu espaço,
Contentei-me com as rosas de meu jardim...
Que me importa delas os descasos,
Se agora sou beneficiado pelo cheiro do jasmim!

A maior falta tristonha foi a tua ausência,
Que sem justificativa deixou-me à mesa na solidão...
Para faltares não tivestes a minha anuência,
Mesmo assim beneficio-te com o meu perdão!

A sonolência precipitada se apossa de meu corpo,
Combatendo-a sou vítima de sufoco,
E não vejo o avançar das horas!

Já vislumbro os raios solares,
Da mudança já não me suspendo apesar dos pesares,
E parcialmente ativo , a passos lentos, vou embora!

[/font]
[/center][/color][/center]

 
Autor
Jairo Nunes Bezerra
 
Texto
Data
Leituras
92
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
0 pontos
0
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.