https://www.poetris.com/
 
Poemas -> Reflexão : 

Natureza

 
Um trovão assusta os lagartos
Que correm e param.
Mil formigas transportam uma grande folha
Que está molhada de orvalho.
Aborrecem-se os vaga-lumes
Com a luz do sol.
Meu espaço é infinito
E posso correr pelos bosques.
Como os grandes abismos
Deixo-me andar sem rumo.
Das sombras perdidas
Não quero mais me esconder.
A chuva passou
E levou consigo minha alma.
As formigas olham em silêncio
A terra encharcada pelas águas.
Quem está morto
Nessa imensidão de mata destruída?
O lagarto caminha em silêncio
Sem notar o gavião que o espreita.
Olho as nuvens que ainda são neblinas
E não vejo o horizonte.
Busco o sol
Que possa me aquecer.
A brisa ou a ventania
Qual poderia me valer?
É preciso consciência
Pela nossa natureza!

Poema: Odair José, Poeta Cacerense

 
Autor
Odairjsilva
 
Texto
Data
Leituras
243
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
5 pontos
1
2
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Maryjun
Publicado: 15/03/2019 23:16  Atualizado: 15/03/2019 23:16
Membro de honra
Usuário desde: 30/01/2014
Localidade: São Paulo
Mensagens: 6404
 Re: Natureza
Boa noite, querido amigo, Odair.

Belíssima construção poética. Exaltando a natureza. Parabéns!!

Ótimo fim de semana.
Fiquemos com Deus!

Um abraço fraterno,
Mary Jun