https://www.poetris.com/
Sonetos : 

Sem destino

 
Tags:  sol    futuro    tarde    Muro    janeiro.    outeiro  
 
Open in new window

Sem destino

Em tarde de sol escaldante de janeiro
Passava por uma tão longa estrada
Ao longe se via um grande outeiro
E por perto não se via quase nada

Pássaros cruzavam no céu cinzento
E, eu estava sem plano para nada
Então eu pensei naquele momento
Vou parar nessa árvore assombreada

Será que estava pensando no futuro
Mas parece que estava sobre o muro
Sem qualquer linha ora declinada

Essa estrada que parecia cumprida
Lembrava um pouco a minha vida
Que não tinha uma rota sinalizada.

jmd/Maringá, 16.10.21


verde

 
Autor
João Marino Delize
 
Texto
Data
Leituras
137
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
2 pontos
2
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
caparoeiroazulmorto
Publicado: 17/10/2021 00:55  Atualizado: 17/10/2021 00:55
Participativo
Usuário desde: 14/10/2021
Localidade:
Mensagens: 16
 Re: Sem destino
olá joão. eu sou a maria. o mal é que andais no mundo por ver andar os outros. ainda por cima gostais de contar estórias. ao menos contai histórias. eu ando aqui... sem sem. sem cem à hora! chitla. vou-te contar uma história... oh... para quê. vós só aprendeis nada. não vale a pena.
uma boa noite joão