https://www.poetris.com/

 
« 1 (2) 3 4 5 ... 30 »
Offline
Liliana Jardim
Desce o manto da noite
Desce o manto da noite suspende-se a vida sem cor nas sombras daquela cama cobre-se de silêncios,...
Enviado por Liliana Jardim
em 12/03/2018 02:51:46
Offline
Liliana Jardim
…imperceptibilidades
Chispam faíscas dos olhos em danças baldias acorrentadas no pescoço o beijo saltitante nas mão...
Enviado por Liliana Jardim
em 03/03/2018 02:51:20
Offline
Liliana Jardim
... tão perto e tão longe
Aqui, onde os meus passos vagueiam pela cidade imensa, sinto-te tão perto e tão longe… Desnudo-me...
Enviado por Liliana Jardim
em 21/02/2018 01:29:47
Offline
Liliana Jardim
Horizonte inverso
Bebo da imortalidade das palavras que trespassam da cor do poema já não as ouço como outrora ma...
Enviado por Liliana Jardim
em 10/02/2018 10:43:18
Offline
Liliana Jardim
Oculto
Ao longe, o grito tão perto… tão alto flagelando o silencio oculto no ontem O ontem é o hoje...
Enviado por Liliana Jardim
em 26/01/2018 02:50:08
Offline
Liliana Jardim
Diz-me se quiseres
Diz-me onde fica as memórias dos olhares distantes Diz-me onde fica os abraços de um sonhar demen...
Enviado por Liliana Jardim
em 22/01/2018 03:59:02
Offline
Liliana Jardim
Do quê tens medo?
Um dia disse-te e continuo a dizer-te Adormeço num sonho meu expando as minhas asas diáfanas a...
Enviado por Liliana Jardim
em 17/11/2017 02:29:35
Offline
Liliana Jardim
Sem titulo
Sem inspiração me calo sem palavras rascunho com magoa choro-me nas lágrimas me nublo da névoa, ...
Enviado por Liliana Jardim
em 12/11/2017 12:48:06
Offline
Liliana Jardim
Deitar-me ao teu lado e… olhar-te
Cansa-me a doença, a dor, o sofrimento prolongado as linhas descontroladas multicolores as noi...
Enviado por Liliana Jardim
em 30/10/2017 13:26:46
Offline
Liliana Jardim
...à espera de quê?
Sinto a lassidão do tempo nos passos com que percorro o presente À espera de quê? O vento já...
Enviado por Liliana Jardim
em 25/10/2017 13:43:31
Offline
Liliana Jardim
… de um ultimo fogo
Tropeço nas pedras da existência a cor da magoa permanece acrómica e os tons que sobranceiam o ...
Enviado por Liliana Jardim
em 18/10/2017 20:44:37
Offline
Liliana Jardim
Como é que tu estás?
Como é que tu estás Desde que tudo ocorreu? Estás feliz assim, Ou sentes saudades de mim E não m...
Enviado por Liliana Jardim
em 07/10/2017 12:41:01
Offline
Liliana Jardim
Já tudo me cansa amor
Canso-me desta azáfama quotidiana deste dissabor sepulcral que me aperta os lábios onde a vida b...
Enviado por Liliana Jardim
em 28/09/2017 18:50:24
Offline
Liliana Jardim
Sei de cor
Sei de cor a luz dos olhos que um dia vi brilhar na essência dos corpos que no silencio se qui...
Enviado por Liliana Jardim
em 23/09/2017 19:09:25
Offline
Liliana Jardim
... num tempo
Queria voltar a olhar-te na infinidade desses teus olhos felinos e voltar a sentir-me …imensidão ...
Enviado por Liliana Jardim
em 20/09/2017 11:00:30
Offline
Liliana Jardim
...a sombra dos olhos molhados
Persiste cálida, a sombra dos olhos molhados no vazio impudico do sono por dormir abraça o corp...
Enviado por Liliana Jardim
em 08/09/2017 22:00:59
Offline
Liliana Jardim
Um dia…fui
Um dia anjo fui ( disseste-me) … mas pela terra fiquei, somente… dor Um dia farol fui, (disseste...
Enviado por Liliana Jardim
em 11/08/2017 12:27:28
Offline
Liliana Jardim
Saltam do poema…nus
Sem nexos são estes versos que componho… nem eu percebo os fonemas que dos meus dedos estilam ...
Enviado por Liliana Jardim
em 09/08/2017 11:30:20
Offline
Liliana Jardim
Pêndulos arcaicos
Pêndulos arcaicos em relógios antigos distorcidos no beiral colorido do presente são minutos cont...
Enviado por Liliana Jardim
em 06/08/2017 14:14:05
Offline
Liliana Jardim
Sei de ti loucura
Sei de ti loucura pregada à íris dormente Sei de espaços coloridos enclausurados na verve do pe...
Enviado por Liliana Jardim
em 03/08/2017 10:24:21
« 1 (2) 3 4 5 ... 30 »