http://spumis.pt/
 
Poemas : 

... Dos Devaneios

 
Sou eu o teu macho, o teu homem,
O riacho onde mata a tua sede
O alimento onde mata a tua fome!

O fogo que te queima e te consome
Sou eu...
O teu paraíso perdido, o teu amor;
O tecido aveludado da mais bela flor
Teu deus sou eu...

O teu amor, o teu amado,
Teu ninho e cobertor,
Teu refrigério e afago!

Sem teu carinho nada no mundo me basta.
Hoje amanheceu adormecida nossa casa
E as plantas da janela, acredite, choraram.

Amanheceu de um céu sem fogo e incolor.
Tive a pedra fria da melancolia de travesseiro.
Minhas omoplatas repousaram em chão imundo.
Hoje o sol não ousou beijar as tulipas do terreiro.
Até os passarinhos pareciam estar em sono profundo.

A tua ausência fez ficar infeliz nossos pomares.
Feneceram por inanição os cravos e margaridas.
Nunca mais veio nos visitar a varanda, a cotovia
E o sabiá foi reinar em outros mais colores lares.

Na laranjeira queda uma folha de alma ressequida.
No rosto de um homem rola uma lágrima amarela.
Um vento insiste em balouçar as plantas da janela
Que com todo amor do mundo cuidava todo os dias.

Mais que Jô amaldiçôo o dia do gozo impuro
Responsável pelo meu nascimento e do leite
Que bebi em dias de Romantismo exacerbado
Em que eu fumava não sei quantos baseados
Na tese de idéias e ideais que eu ainda não tinha.

Que me importa Plutarco com suas biografias
Ou Voltaire com seus chiliques de pária patriótico
Ou Platão com suas patéticas cavernas e filosofias?

Que me importa,
Então,
Essas linhas tortas
Sem coesão,
Sem intenção
De coexistir
De co-habitar
(Apenas de divertir
Quem ousar ler...)


Fico a lembrar do poema
Do Pessoa que diz que quando
Sem tem a alma pequena
Nada vale a pena.

Fica a pensar e vejo que assim
Que faço poesia,
Esquecendo um pouco deste
Mundo e de mim.
Assim dou asas à fantasia
E começo a viajar, igual aquele
Dia, assim:


“Lá longe se vai uma solitária abelhinha
Cortando o céu num vôo azul e mágico
Bebendo o mundo em olhos facetados
Bailando sobre a relva macia da campina...

Vai dançando numa dança lasciva argentina
Pousando nas ramas violáceas das flores
Numa tarde de primavera com todas as cores
Acolhendo o astro rei por detrás da colina...

Quantas esperanças carrega consigo
Naquela labuta diária de flor em flor
O sol sendo guia pelo espaço infinito
Mostrando a magia da mão do Criador...

Vejo o Amor como àquela bela abelhinha
Que vai voando, beijando as flores do chão.
Porém o Amor é a abelhinha da vida
Bailando suave pelas campinas floridas
Nascidas no terreno fértil do... Coração!”

 
Autor
Gyl
Autor
 
Texto
Data
Leituras
594
Favoritos
2
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
23 pontos
7
0
2
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Felisbela
Publicado: 18/02/2012 20:01  Atualizado: 18/02/2012 20:01
Colaborador
Usuário desde: 10/10/2011
Localidade:
Mensagens: 2207
 Re: ... Dos Devaneios
Olá Gyl...tantas nuances e odores presos nos sentimentos de belas palavras!

Adorei ler, nem sei como comentar...mas vou atualizar os favoritos!

Beijinhos de amizade a abraços também!

Felisbela


Enviado por Tópico
APScheffer
Publicado: 20/02/2012 14:31  Atualizado: 20/02/2012 14:32
Da casa!
Usuário desde: 04/11/2011
Localidade:
Mensagens: 262
 Re: ... Dos Devaneios
Olá Gyl.

primeiramente, preciso te expor que: Faz um bom tempo não leio algo tão elaborado.
idealizei teu poema.
teus dizeres.

ele é rico em detalhes, nobres detalhes diga-se de passagem.
e o amor, sim, ele que sempre encanta, e deixa-nos atentos.

adorei, realmente adorei.

Parabéns nobre Poeta.


Enviado por Tópico
Nanda
Publicado: 21/02/2012 13:13  Atualizado: 21/02/2012 13:13
Colaborador
Usuário desde: 14/08/2007
Localidade: Setúbal
Mensagens: 10978
 Re: ... Dos Devaneios
Gyl,
O que importa neste caso a coesão ou o nexo, quando o amor é cantado de forma tão bela e intensa.
Bendito devaneio.
Beijo
Nanda


Enviado por Tópico
Isa Isa
Publicado: 21/02/2012 20:08  Atualizado: 21/02/2012 20:08
Colaborador
Usuário desde: 27/02/2011
Localidade:
Mensagens: 1038
 Re: ... Dos Devaneios
devaneios de Gyl...sempre
um espetáculo, e eu amo!
beijinhos.
Isa
Posts relacionados, Plugin for WordPress, Blogger...