Luso-Poemas
Registre-se agora!     Entrar

Links patrocinados



Menu de poemas

Quem está aqui

199 visitantes online (97 na seção: Poemas e Frases)

Escritores: 5
Leitores: 194

JogonSantos, lucas_moreno, Migueljaco, ManoelDeAlmeida, ausencia, mais...

Licença

Licença Creative Commons

Proteção anti-cópia

Protegendo os seus poemas com Tynt

Estatísticas de thiagodebarros

Tópico textos Leituras Média Com Média
Frases e Pensamentos 4 928 232 2 1
Haikais 1 385 385 5 5
Poemas 186 54322 292 443 2
Poemas -> Surrealistas 1 528 528 0 0
Prosas Poéticas 11 3102 282 12 1
Textos -> Surrealistas 4 1320 330 4 1
Totais 207 60585 293 466 2

Textos mais populares

Tópico Título Favoritos Leituras Com
Poemas Cena 1, Banco da Quadra, O Títere, A Pessoa e o Cachorro-Quati 2 209 8
Poemas Carcinome 2 389 9
Poemas Homonoia 2 382 4
Poemas Fodei-vos 0 726 19
Poemas Onco lógico 1 411 10
Poemas Brachycera ou A(s) Mosca(s) 1 517 9
Poemas No quintal de Quintana 1 486 8
Poemas Ilusão Semântica II 1 357 8
Poemas Os velhos olhos vermelhos voltaram 1 443 6
Poemas A pele que habito 1 415 6
Poemas Curimba Experimental II ou As visões de Zeca-Lango nas rimas infinitas. 0 147 8
Poemas Poesia em família. 1 180 2
Poemas As sombras são da feliz cidade. 1 459 4
Prosas Poéticas Ego-antropofagia, Ou Elogio da palavra 1 423 4
Poemas Teus olhos são... 1 351 4
Poemas (Re)fluxo 1 247 4
Poemas Pi, paus, punks 1 452 3
Poemas Cruz na porta da tabacaria! Quem morreu? O próprio gigante? 1 257 2
Poemas Luna Lupus 1 369 2
Poemas Assombração da felicidade 1 308 2
Poemas Dormir é morrer vivo 1 290 2
Poemas Quadrilha moderna 0 697 10
Poemas É mole? 0 152 4
Poemas Querela do Briguela 0 419 8
Poemas W3 Sul - W3 Norte 0 593 8
Poemas Romaria transcendental ou Sacra Femininum 0 413 8
Poemas 1,99 0 452 8
Poemas No meio do caminho do Drummond 0 486 8
Poemas Ecos de Solilóquios. 1 190 0
Poemas Sombra fútil chamada gente. 1 212 0
Poemas Falanges 1 328 0
Poemas Dos crimes contra a língua 0 356 8
Poemas Cheiquispir 0 400 8
Poemas Procura-se um poema 0 282 7
Poemas Insultos gratuitos de uma tarde de inverno 0 112 8
Poemas Máquina de letras 0 340 6
Poemas Menina, amanhã de manhã quando a gente acordar... 0 448 6
Poemas Filosofê 0 394 6
Poemas Amore nostri de cada dia. 0 400 6
Poemas Éden 0 401 6

Textos mais comentados

Tópico Título Favoritos Leituras Com
Poemas Fodei-vos 0 726 19
Poemas Quadrilha moderna 0 697 10
Poemas Onco lógico 1 411 10
Poemas Carcinome 2 389 9
Poemas Brachycera ou A(s) Mosca(s) 1 517 9
Poemas Ilusão Semântica II 1 357 8
Poemas Dos crimes contra a língua 0 356 8
Poemas Cena 1, Banco da Quadra, O Títere, A Pessoa e o Cachorro-Quati 2 209 8
Poemas No meio do caminho do Drummond 0 486 8
Poemas Cheiquispir 0 400 8
Poemas W3 Sul - W3 Norte 0 593 8
Poemas Curimba Experimental II ou As visões de Zeca-Lango nas rimas infinitas. 0 147 8
Poemas 1,99 0 452 8
Poemas Romaria transcendental ou Sacra Femininum 0 413 8
Poemas Insultos gratuitos de uma tarde de inverno 0 112 8
Poemas Querela do Briguela 0 419 8
Poemas No quintal de Quintana 1 486 8
Poemas Procura-se um poema 0 282 7
Poemas Amore nostri de cada dia. 0 400 6
Poemas Gira de esquerda 0 455 6
Poemas Mais um sobre o fim do mundo 0 444 6
Poemas Menina, amanhã de manhã quando a gente acordar... 0 448 6
Poemas Éden 0 401 6
Poemas Filosofê 0 394 6
Poemas A pele que habito 1 415 6
Poemas Eulalia 0 420 6
Poemas Poema para ler e cheirar 0 483 6
Poemas Máquina de letras 0 340 6
Poemas Daoriginhaufim. 0 340 6
Poemas Os velhos olhos vermelhos voltaram 1 443 6
Haikais Promessa é dívida. 0 385 5
Poemas Leia-me. 0 443 5
Poemas Cântico Franciscano 0 517 5
Poemas Se, então. 0 154 5
Poemas Parede 1 0 368 5
Poemas Cantálogo 0 272 5
Poemas És ox 0 279 4
Poemas Marginal 0 282 4
Poemas Hex 0 319 4
Poemas (Re)fluxo 1 247 4

Textos mais lidos

Tópico Título Favoritos Leituras Com
Poemas Poema prescritivo 0 831 0
Poemas Invocação do novo ano 0 818 2
Poemas Fodei-vos 0 726 19
Poemas Quadrilha moderna 0 697 10
Poemas Prelúdio ao Manifesto Behaviorista de J.B. Watson (1913) 0 681 4
Poemas Batuque Quererê 0 676 4
Poemas W3 Sul - W3 Norte 0 593 8
Poemas Dasein Behaviorista 0 552 2
Poemas E Jesus chorou. 0 550 0
Poemas Poema do primeiro dia 0 548 2
Poemas -> Surrealistas Psicografando Gertrude Stein 0 528 0
Poemas Brachycera ou A(s) Mosca(s) 1 517 9
Poemas Cântico Franciscano 0 517 5
Prosas Poéticas Se essa rua fosse minha, eu... 0 514 0
Poemas No quintal de Quintana 1 486 8
Poemas No meio do caminho do Drummond 0 486 8
Poemas As sombras são assombrações 0 485 0
Poemas Poema para ler e cheirar 0 483 6
Poemas As sombras são da feliz cidade. 1 459 4
Poemas Gira de esquerda 0 455 6
Poemas Pi, paus, punks 1 452 3
Poemas 1,99 0 452 8
Poemas O poema é a realidade secreta do poeta. 0 448 2
Poemas Menina, amanhã de manhã quando a gente acordar... 0 448 6
Poemas Mais um sobre o fim do mundo 0 444 6
Poemas Os velhos olhos vermelhos voltaram 1 443 6
Poemas Leia-me. 0 443 5
Poemas Ho Ho Ho, amém, $! 0 442 4
Poemas Abelha carneirinho 0 428 4
Prosas Poéticas Ego-antropofagia, Ou Elogio da palavra 1 423 4
Poemas Eulalia 0 420 6
Poemas Querela do Briguela 0 419 8
Poemas Personalizado (Esse poema será [re]feito ao longo dos tempos) 0 418 4
Poemas A pele que habito 1 415 6
Poemas Romaria transcendental ou Sacra Femininum 0 413 8
Poemas Onco lógico 1 411 10
Poemas Éden 0 401 6
Poemas Amore nostri de cada dia. 0 400 6
Poemas Cheiquispir 0 400 8
Poemas O eterno Deus Mu dança 0 398 4

Textos menos lidos

Tópico Título Favoritos Leituras Com
Poemas Mercado pretérito 0 74 0
Poemas Lei de Copas 0 81 0
Poemas Amor tipo Bras-ilha. 0 85 0
Poemas O lápis no buraco negro 0 89 0
Poemas Verde Turvo (Parte II) - Árvore dá vida. 0 90 1
Poemas O analista chimpanzé 0 90 0
Poemas Acne vulgaris 0 99 0
Poemas Explicandae 0 109 2
Poemas Verde Turvo (Parte I) - Dendrospecção 0 111 2
Poemas Insultos gratuitos de uma tarde de inverno 0 112 8
Poemas As bicicletas de Beleléu 0 114 0
Poemas Samba de um verso só. 0 120 0
Poemas Lua vermelha e mais luar. 0 128 0
Poemas In natura 0 130 2
Poemas Tupinambá 0 133 0
Poemas Curimba Experimental I ou Zeca Lango descobre sua missão 0 136 0
Poemas Pequeno Manual de Prática Poética Livre (PMPPL) 0 141 4
Poemas Tonel de ti 0 145 0
Poemas Curimba Experimental II ou As visões de Zeca-Lango nas rimas infinitas. 0 147 8
Poemas Outra lua 0 148 2
Poemas Ninguém faz samba porque prefere 0 150 0
Poemas Lábaro estrelado 0 151 4
Poemas É mole? 0 152 4
Poemas Apele! 0 152 0
Poemas Sobre pássaros e promessas 0 153 0
Poemas Se, então. 0 154 5
Poemas Este poema não é sobre a lua. 0 155 2
Poemas Sextante 0 155 4
Poemas Pestanejar 0 156 0
Poemas Necrophilia 0 166 3
Poemas Cascas. 0 169 0
Poemas No cume calmo do meu olho que vê 0 170 0
Poemas Confissões da carne 0 170 4
Poemas Chove lá fora e aqui dentro também. 0 174 2
Poemas Paisagens Sonoras - Vox Dei 0 174 0
Poemas Marinheiro só 0 175 0
Poemas Visitentes 0 180 0
Poemas Poesia em família. 1 180 2
Poemas Apaga-dor 0 181 0
Poemas Vibração da Sabedoria 0 182 0

Login

Usuário:

Senha:

Recordar senha



Esqueceu a senha?

Registre-se gratuitamente!

Leia também

Comentários Recentes

Luso Pensamentos

Frase

É incrível que, no intuito de justificar as nossas crenças, coloquemos Deus na terra e o Homem no céu

(Garrido)



A folha

A folha cai no verão.
( Era folha de papel)
Não consigo pegá-la
Porque o vento é forte
E me leva para longe.

Matheus



Insanidade perfeita

Sinto-me cansada
Já me faltam as palavras!
As que saboreio entre dissabores
Da minha própria loucura
Já não sinto o meu corpo
As vogais consomem-no
Adormece em brandas consoantes
Ficam tantas frases por dizer
Aquelas,
Que já não consigo escrever,
Falta-me a força
A caneta começa a tremer
Soluça.
O meu olhar constrói
O que meu pensamento rejeita
Esta sou eu,
A doce mulher
A insana, poeta...

(ConceiçãoB)



Tempestades

Tudo em mim, são dias de tempestades...
Por isso entrego minha alma à poesia
E meus dias a escrever versos
E meto uns poemas em velhas garrafas
E as levo para as águas intermináveis dos mares
- revoltos e tristes -
E as lanço, na singela esperança
De que um dia alguém os leia
Ainda que meus pés não estejam mais sobre este chão
E meu corpo tenha sido já lançado no ventre desta terra impura
E minha alma tenha também partido
- para a imensidão do infinito com que sonho,
ou para o abismo solitário que me amendronta...

(Vanessa Marques)


vaga-lume

... beijar-te

- era ser
pássaro azul
dedilhando ugabe

era levitar
beber das nuvens
e desfolhar os céus

era um doce caminhar
sem tocar o chão
estirpes desaguando
em aljôfar...

era dédalo a calar-me
se acontecia
cascata de sonhar-me
na boca que feliz
se fenecia

- e era livre
sendo chama
toda asas
vaga-lume
brilhante
como quem ama.

(RoqueSilveira)


Nós de poesia

A vida é feita de incompletudes...
Como os bares de mesas vazias
Nas calçadas
Ou as longas estradas
Repletas de nada dos dois lados

Ainda assim, escrevo
Mesmo sabendo que em mim
desatam-se nós de poesia
E atam-se outros em seguida.

O fato é que
Daquilo que me resta
Faço-me humanamente completa
meramente humana...

(Vanessa Marques)



Frase

"Amor" é o presente dado sem esperança de retorno,
e o que esperamos é apenas que não seja rejeitado

(Junior A.)



Frase

Como posso explicar
Esta dor
Invasora
Da minha alma
Senão dizer
Que és a mentira
Mais verdadeira
Da minha vida...?

(Raquel Naranjo)



Frase

O amor é como a justiça:
Injusto e cego.

(TrabisDeMentia)



guardanapos

do nosso beijo,
muralhas

do nosso amor,
migalhas

do nosso verbo,
mortalhas

dos nossos papos
poemas
em guardanapos

(Niké)



Sexto sentido

Tenta ouvir o silêncio...
Ver a luz na escuridão profunda...
Cheirar o aroma da mais pura água...
Sentir a textura do vento...
Saborear a doçura do sal...
Quando o conseguires...
Irás te descobrir...

(gera)



Só saudade

Dor que sente
Dor que não se mede
Que vai e vem

Com a vida vou rolando
Com a dor vou buscando
Talvez alívio...

Quando doer que seja
Sem deixar morrer
Só saudade...

(amasol)



A foz

Se cada coisinha que eu sei correspondesse a um rio... E se cada um deles desaguasse na mesma foz...Esta não teria senão o tamanho de uma bacia bem pequenina na qual eu refresco os meus cansados pés. Os rios seriam tão curtos quanto a minha felicidade, tão estreitos quanto a minha existência, tão secos quanto a minha solidão. Mas talvez, talvez bem no fundo da bacia, talvez para lá das lágrimas turvas, e para que eu me possa orgulhar, talvez sorriam dois peixinhos, que eu, apesar da distância possa contemplar! E quem sabe... Uma flor se incline e faça nascer, na foz uma flor que eu possa colher!

(TrabisDeMentia)