https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

RODINHA26-O NOME DAS COISAS

 
DORMIR NÃO É UM ESTADO
DE LOUCURA,
NEM É BEBEDEIRA DO ESPÍRITO...
DORMIR É REPOUSAR,
NÃO DAS FADIGAS DOS INSTANTES,
MAS DA ETERNIDADE
QUE AS FADIGAS ETERNAS TEM.

E A MORTE PARA ALÉM DE SER
AQUILO QUE EU NÃO SEI O QUE É,
É TUDO AQUILO QUE EU SINTO
QUANDO COMO PEIXE, FORNICO
OU ENTÃO VIOLO A PALAVRA.

CHAMO NOMES ÀS COISAS;
CHAMO COISAS AOS NOMES;
EU SOU A COISA QUE CHAMA
O NOME DA COISA,
PELA COISA DO NOME.

MONTARAM-ME O LABIRINTO
CRUEL, NOS SEUS LIAMES ILIMITADOS,
NAS SUAS INFÍMAS RUELAS D´ALGO SEM FIM;
E EU O CONDENADO VAGUEIO
NA DÓ ESPERANÇA DE NÃO ENCONTRAR A PORTA
PARA QUE O JOGO NÃO ACABE.

... E SÓ. SÓ QUANDO ABANDONAR A PALAVRA
E ME SENTIR ENTREGUE AO DESÍGNIO
DOS ACASOS OU MISTÉRIOS,
ESTAREI FORA DESSE LABIRINTO,
QUE É A MINHA
INSATISFEITA E SEQUIOSA VONTADE
DE BRINCAR AOS POLÍCIAS E LADRÕES.


O homem antes de ser o ente do ser é o ser do-ente

Livros:

Quase um Livro:
www.rodinha26.blogtok.com
Coisas da escrita:
www.avkd.blogtok.com
Um tratado:
www.gov.blogtok.com

Projectos Web:
Um Portal:
ww...

 
Autor
JSL
Autor
 
Texto
Data
Leituras
2315
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
2 pontos
2
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Vera Sousa
Publicado: 29/06/2007 11:33  Atualizado: 29/06/2007 11:33
Membro de honra
Usuário desde: 04/10/2006
Localidade: Amadora
Mensagens: 4100
 Re: RODINHA26-O NOME DAS COISAS
Pois é... o nome das coisas, cada coisa tem um nome, cada nome é uma coisa e nunca abandonamos a palavra.

E a Rodinha continua

Beijinhos

Enviado por Tópico
JSL
Publicado: 29/06/2007 11:41  Atualizado: 29/06/2007 11:41
Colaborador
Usuário desde: 10/05/2007
Localidade: Minho
Mensagens: 679
 Re: RODINHA26-O NOME DAS COISAS
É verdade Vera. Aqui ponho em cima da mesa a maior discussão filosófica desde sempre: a matéria e a ideia, a coisa e o espírito. Assim passeio-me pelo idealismo, embarco no materialismo dialéctico e regresso á existência. No existencialismo entregamos a vida a um jogo que queremos que não acabe.

Como dizes: nunca abandonamos a palavra