https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

CONFUSÃO

 
Tags:  confusão    denso    arvoredo  
 
Sigo o arvoredo denso
desta íngreme floresta,
de repente paro e penso:
É só isto que me resta ?
Estarei eu sozinho
neste perigoso caminho?
Serei eu, meu único adversário?
Já tanta escolha feita,
agora,
esquerda ou direita ?

Houve uma voz que minhas dúvidas,
para esta, pareciam fáceis.
Pegou em minhas lamúrias
e transformou-as em projecteis
até ao outro lado da escuridão.

Admito,
estou confuso
mas apertam-me a mão,
há tanto tempo que não uso
palavras de amor em vão.

Podemos dizer:

Vamos ser felizes os dois
e que a morte nos leve depois.
 
Autor
GDS
Autor
 
Texto
Data
Leituras
737
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
4 pontos
4
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 10/01/2011 11:18  Atualizado: 10/01/2011 11:18
 Re: Confusão
Interessante a sua poesia

gostei dessa

Abraços - Pedro


Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 10/01/2011 19:24  Atualizado: 10/01/2011 19:24
 Re: CONFUSÃO
Um poema que mostra a confusão do coração,mas se há amor de sobra,então que viva-o intensamente e depois...esqueça a morte!Parabéns poeta!Abraço!