https://www.poetris.com/
 
Sonetos : 

Coisas da noite

 
Tags:  música    luzes    vitrais  
 
Open in new window


Coisas da noite

A tarde desce como a aeronave que se vai
Leva os últimos brilhos e afasta a claridade
Num silêncio taciturno a noite escura cai
Assim como alguém que perde a liberdade

Contemplam-se vitrais vermelho na catedral
Mariposas noturnas agora saem para a rua
Em volta das lâmpadas acesas se distraem
Ou onde há luzes vermelhas e não há lua

Músicas em som alto chegam dando sinais
Que há bebidas danças e as vezes algo mais
Que os humanos procuram na noite afora

No dia seguinte fica um gosto de ressaca
Nos bolsos não encontram nenhuma pataca
E arrependem-se amargamente daquela hora.

jmd/Maringá, 04/03/11.


verde

 
Autor
João Marino Delize
 
Texto
Data
Leituras
562
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
0 pontos
0
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.