https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

Sem Norte

 
Espelhos partidos
Gritam de sofrimento
Em voos noturnos
Sem almas sentidas

Os sonhos
São revividos
Perante virgens
Amaldiçoadas

Mundos odiados
De gentes frias e insensíveis
Reportam a cais
Naufragados

Para onde caminhamos
Norte ou Sul
Já não sabemos
Nem interessa saber

Porém em mentes vivemos
Vivemos constantemente
De ceitas...
De ceitas infernais

Caminheis em brita solene
Pobre poeta
Sem Norte
Perante a morte


Bruno Miguel Inácio


 
Autor
brunomi
Autor
 
Texto
Data
Leituras
828
Favoritos
1
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
12 pontos
4
0
1
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Migueljaco
Publicado: 22/03/2013 19:25  Atualizado: 22/03/2013 19:25
Colaborador
Usuário desde: 23/06/2011
Localidade: Taubaté SP
Mensagens: 9267
 Re: Sem Norte
Boa tarde caro poeta, seus versos narram os contornos de um peregrino do acaso,
Parabéns pelo seu contundente poema, um grande abraço, MJ.


Enviado por Tópico
Bambi
Publicado: 23/03/2013 03:32  Atualizado: 23/03/2013 03:32
Super Participativo
Usuário desde: 30/01/2013
Localidade: Lisboa
Mensagens: 107
 Re: Sem Norte
A intensidade deste texto está mesmo elevada. Estava a tentar selecionar um trecho, mas está complicado... Cada estrofe tem uma representação extrema!

Reparei que este poema já tem o seu tempo, mas aproveito para dizer que, nesta hora de desespero, pega na tua "bússola" e troca-lhe as voltas (: És tu quem manda no teu destino!

Parabéns pelo poema, Bruno ;) Favoritei!