Poemas : 

Sei lá

 
Sei lá porque tantos vão
Em fila por outra estrada
Se tanto eu faço questão
De ficar aqui sentada.
Há quem faça que me veja
Há quem me veja sentada
O que importa a cereja
Se por ti for desejada…
Cansa-me quem se repete
Em sentimento e fachada
Por aqui sou repetente
Sorvo a poesia enganada
Gosto desta minha glória
Desta glória de ser nada
Ser tua é a minha história
Voo em alma apaixonada

Alguns me chamam poeta
Eu a eles não me dou
Sou apenas borboleta
Que na sua flor se finou.


Christina Lumar

 
Autor
...Cristina...
 
Texto
Data
Leituras
1201
Favoritos
1
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
11 pontos
3
0
1
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Karla Bardanza
Publicado: 20/01/2014 01:50  Atualizado: 20/01/2014 01:50
Colaborador
Usuário desde: 24/06/2007
Localidade:
Mensagens: 3263
 Re: Sei lá
Tua poesia me lembrou tanto de Alexis - saudades da escrita dela. Belo poema o teu!

Abraços

Karla B

Enviado por Tópico
belarose
Publicado: 20/01/2014 10:01  Atualizado: 20/01/2014 10:01
Membro de honra
Usuário desde: 28/10/2010
Localidade:
Mensagens: 9026
 Re: Sei lá
Bom dia Cristina!

Muito bela sua poesia amiga,parabéns!

beijos

Enviado por Tópico
Vania Lopez
Publicado: 21/01/2014 02:22  Atualizado: 21/01/2014 02:22
Membro de honra
Usuário desde: 25/01/2009
Localidade: Pouso Alegre - MG
Mensagens: 18440
 Re: Sei lá
querida, és um voo absoluto.
voltas inebriando nossa imaginação
com sensibilidade. que bom poder ler-te
assim, como se fosse por dentro da alma.
obrigada