https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

paroxismo

 
Tags:  paroxismo  
 
Open in new window

só saberei amar-te uma vez,
e esta cópula que trago na pele será o teu altar
onde te deitas,
onde pernoitas
como a chuva que me lambe o rosto
e a vela que ainda não ardeu.

saberei abraçar-te no momento certo
se a (in) certeza assim deixar
serei a pudica mais obscena
nesta lama de oceanos
onde os corpos se dividem em cores
e os rios se (re) partem
adocicando os seios que saboreias
no ventre dos (dis) sabores

só saberei amar-te uma vez,
se alguma vez me souberes amar

Conceição Bernardino


A coragem é a primeira das qualidades humanas porque garante todas as outras.
Aristóteles

meu Blog - http://amanhecer-palavrasousadas.blogspot.com

Blog da Lavra...Boletim de Poesia - http://lavraboletimdepoesia.blogspot.com/

@cartascemremetente

 
Autor
Conceição Bernardino
 
Texto
Data
Leituras
641
Favoritos
4
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
44 pontos
6
3
4
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 15/01/2015 17:03  Atualizado: 15/01/2015 17:07
 Re: paroxismo
Para o que sismo
há um desígnio
chamo-o de meu

para o que sirvo
sinto ser pouco
o que é lirismo

se este ser eu
sente ser louco
sismo eu sou

lírico sou pouco
quer d'tamanho
quer de cabouco

pra que sirvo
se sismo
tanto tã pouco

Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 15/01/2015 17:44  Atualizado: 15/01/2015 17:44
 Re: paroxismo
*sempre impactante e esplendorosa tua escrita!
beijoka*


Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 15/01/2015 18:00  Atualizado: 15/01/2015 18:00
 Re: paroxismo
Uma escrita marcante e forte!

Beijos.


Enviado por Tópico
Migueljaco
Publicado: 15/01/2015 18:48  Atualizado: 15/01/2015 18:48
Colaborador
Usuário desde: 23/06/2011
Localidade: Taubaté SP
Mensagens: 9304
 Re: paroxismo
Boa tarde Conceição, seus versos dissecam uma cena de intensos desejos, e desmedida sedução de form elegante, e a sua personagem evidencia em suas intenções, de que os desejos não as fazem burra, ela dará ao seu provedor de afetos o que ele tiver para lhe prover em reciprocidade, parabéns pelo redundante poema, MJ.