https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

Soneto dos desejos invejosos “fugerit invida votis “

 



Beirando às raias da pura insanidade
sentir a dor de não estar presente,
quando aqui vislumbro grandiosidade,
toda extensão do símbolo premente.

Diante de insignificantes apelos tais,
emanantes dos cadinhos aos vapores,
findo coro solerte a ignóbeis animais,
ruge solene tal diapasão de horrores.

“Como muito antes, nos idos da Gaia,
o fluxo do mar não abarca a cesta”
- dirão sempre com repúdio à tocaia.

E da alma, sem medo dardejam dores,
mas suplantando amuide a fera-Besta,
e tais invejosos de anelo aos valores.




 
Autor
ReflexoContrito
 
Texto
Data
Leituras
245
Favoritos
2
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
21 pontos
1
2
2
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Gyl
Publicado: 24/02/2016 23:05  Atualizado: 24/02/2016 23:05
Membro de honra
Usuário desde: 08/08/2009
Localidade: Brasil
Mensagens: 15132
 Re: Soneto dos desejos invejosos “fugerit invida votis “
Soneto perfeito e para refletir. A Fera-Besta não deve ter gostado muito. Mas nem tudo é para se gostar, não é? Abraços!