https://www.poetris.com/
 
Sonetos : 

Observador do Cotidiano

 
Martírios de um cotidiano vazio e selvagem
Cravado na alma do mundo que o presente
É o medo em cores refletido na imagem
Do tempo que o amanhã então é ausente

Pálido sorriso pela face que o torna miragem
Esperança morta do futuro perpétuo distante
Lastima a dor com o olhar refém à paisagem
Que o prende ao fictício colorido do instante

Imperfeições cobertas pelo disfarce do manto
Em doce ilusão quando o olhar cego e em vão
É tardio a tudo que em duração lhe foi engano

Pela realidade que escondida por trás do plano
Derrete-se pela razão ao chorar de emoção
Pelo destino que o fim não lhe foi humano


Murilo Celani Servo

 
Autor
murilocs
Autor
 
Texto
Data
Leituras
308
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
2 pontos
2
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
MaryFioratti
Publicado: 10/09/2016 12:24  Atualizado: 10/09/2016 12:24
Colaborador
Usuário desde: 09/02/2014
Localidade:
Mensagens: 2380
 Re: Observador do Cotidiano
Murilo,
Belo poema. Que retrata esse cotidiano que muitas vezes nos assusta.
O medo dessa realidade por tras desse pano....

Abracos,

*Mary Fioratti*

Enviado por Tópico
Ro_
Publicado: 10/09/2016 16:52  Atualizado: 10/09/2016 16:52
Colaborador
Usuário desde: 25/09/2009
Localidade: Brasil
Mensagens: 3962
 Re: Observador do Cotidiano

Que lindo, Murilo!
Parabéns!
Um beijinho!


*-*