Sonetos : 

GUERRA DE GUERRILHAS

 
Tags:  SONETOS 2013  
 
GUERRA DE GUERRILHAS

Nas ruínas de nós entrincheirados,
Combatemo-nos: Íntimos inimigos.
As vilas bombardeadas, hoje abrigos
Onde antigos rivais ora aliados.

Em lutas fratricidas, mais pecados
Que crimes são os nomes nos jazigos.
Quando, entre escaramuças e perigos,
Lutando sem descanso ambos os lados.

Faz anos nos movemos pelo escuro
Sem já qualquer passado nem futuro
Somente a aniquilar nossos iguais.

A paz não nos trará dias serenos.
Vence aquele que quer aquilo mais
Ou senão quem souber se importar menos.

Betim - 13 09 2013


Ubi caritas est vera
Deus ibi est.


 
Autor
RicardoC
Autor
 
Texto
Data
Leituras
663
Favoritos
1
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
12 pontos
2
1
1
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Rogério Beça
Publicado: 06/07/2024 09:04  Atualizado: 11/07/2024 10:35
Usuário desde: 06/11/2007
Localidade:
Mensagens: 2088
 Re: GUERRA DE GUERRILHAS
3. cemitérios novos


Lá há muitos cemitérios novos,
são murados a reboco cinzento,
construção civil em desenvolvimento
repartidos por esses dois povos.

Moradas infectas, covas em covos,
de vis arquitetas de armamento.
Mausoléus, pirâmides de cimento,
novidades velhas, eu reprovo-os.

Uma frase diz: Eterna Saudade,
epitáfio tanta vez repetido.
A viúva que cedo enviuvou

vive morta de medo, nesta idade,
sem nunca ter vivido o marido.
Cemitérios novos, ao neto e ao avô.


De cheiramázedo

In Dez Sonetos da Guerra na Crimeia