https://www.poetris.com/
 
Prosas Poéticas : 

Promessa de outono

 
Tags:  vento    chuva    outono  
 
Combinemos o preâmbulo, pouco ético, entre a chuva e a terra molhada deste outono. Na verdade, todo ele será poético, uma vez que se sente o aroma das madressilvas impregnado do hálito de Pã, enquanto Chronos converte o tempo em fénix renascida. Sabemos que, enquanto houver uma romã, os lábios serão o alvo frágil do mosto proposto por Baco. E que as uvas amadurecem a inquietação no sangue, e os trovões obrigam o céu a relampejar incessantemente perante as letras do nosso dicionário. Tudo o que observamos tem a forma de uma castanha ainda refugiada no seu ouriço, com o receio do contágio das gotículas que caem nas folhas abertas às cores do arco-íris. Também elas caem agora, perante as propostas indecentes de Éolo, murmurando a ladainha do vento que arrepia a alma, trazendo consigo o mesmo olhar e o presságio do doce de abóbora que combate as desilusões espalhadas pelo chão. O único consolo são as vidraças da janela, de olhos marejados pela chuva e encantados com o arrulho das pombas no fio dos telefones, apesar do pranto dos céus. Na certeza, porém, de que o Oráculo da natureza será preservado enquanto as minhas mãos puderem escrever uma única palavra de apreço ao prazer de beber um chocolate quente. Não existe caudal mais lindo e puro do que esse preâmbulo aberto às palavras de um poema por nascer…uma promessa!

 
Autor
Nininha
Autor
 
Texto
Data
Leituras
547
Favoritos
4
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
60 pontos
14
7
4
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 03/10/2016 01:26  Atualizado: 03/10/2016 01:26
 Re: Promessa de outono
Que fantástico!
Hoje seu texto veste minha alma, devido ao momento de decepção que se instalou por aqui,
mas este "consolo são as vidraças da janela, de olhos marejados pela chuva e encantados com o arrulho das pombas no fio dos telefones, apesar do pranto dos céus..." já é uma ponta de esperança, uma "Promessa de Outono" em plena primavera...
Obrigada pela partilha, foi muito bom ler-te...
bjo


Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 03/10/2016 03:53  Atualizado: 03/10/2016 03:53
 Re: Promessa de outono
*És fonte limpida de POESIA...Seja em qualquer estilo.
Minha Rosa tao bom te ler
Beijoka*


Enviado por Tópico
martisns
Publicado: 03/10/2016 11:37  Atualizado: 07/10/2016 20:25
Colaborador
Usuário desde: 13/07/2010
Localidade:
Mensagens: 29303
 Re: Promessa de outono
Momentos de nossas alma que de repente se vê naqueles instantes onde os encantos se apaga, os sentidos grita a dor que algo se impõe de uma maneira ingrata.

martisns


Enviado por Tópico
Volena
Publicado: 03/10/2016 12:31  Atualizado: 03/10/2016 12:31
Colaborador
Usuário desde: 10/10/2012
Localidade:
Mensagens: 12514
 Re: Promessa de outono P/Nininha
OLÁ D. ESCRITORA E POEIISA! Se esse caudal é de facto o preâmbulo a um poema fiquei sem saber como qualificar a prosa que já é o máximo do conceito de beleza da palavra! Magnífico! Enquanto espero...
favorito, relendo e admirando a beleza do estilo. Beijinhos e ternura Vólena


Enviado por Tópico
ALFA
Publicado: 03/10/2016 17:58  Atualizado: 03/10/2016 17:58
Colaborador
Usuário desde: 14/04/2015
Localidade:
Mensagens: 880
 Re: Promessa de outono
Poesia quando assim expressa
Com toda esta enorme beleza
Não será vista como promessa
Mas antes, uma clara certeza!

Pelas tuas mãos passa tudo que há de mais belo em qualquer das estações!

Esta está exímia, como é teu apanágio.

Beijos


Enviado por Tópico
Gyl
Publicado: 03/10/2016 19:09  Atualizado: 03/10/2016 19:09
Membro de honra
Usuário desde: 08/08/2009
Localidade: Brasil
Mensagens: 15161
 Re: Promessa de outono
Um lirismo recheado de doçura que só a poetisa tem. Mil beijos!


Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 05/10/2016 16:04  Atualizado: 05/10/2016 16:04
 Re: Promessa de outono
...difícil minha querida Poetisa, não lançar um olhar de admiração e perplexidade sobre seus textos. Escreverás sempre com muito prazer. e pelo simples nascer engrandecido por essa promessa. Parabéns querida Poetisa.