https://www.poetris.com/
 
Poemas -> Reflexão : 

Aos Anjos

 
Tags:  vida    solidão    rimas    ilusão    social  
 
Aos Anjos
 
Sinto pena de quem almeja o mundo
Sinto pena daqueles que valorizam o outro bruto
Estão sendo ignorantes, impuros.

Às vezes me canso de escutar desprazeres
Pessoas dizendo sofrerem todos os meses,
Mas que estão melhores que muitas outras,
E dizer sem contras, mas se parecem com os burgueses
Pessoas que nunca estão bem,
Mas que adoram dizer isso para alguém
Me enjoa a falsidade, a dramaturgia, a maldade
Às vezes me pergunto se não estou melhor sem ninguém,
Pois talvez seja melhor estar com quem me faz bem.

Assim como amarelinha, tento pular os erros da minha vida
Assim como esconde-esconde, eu me escondo, com medo,
À procura dos anjos
Eles não sentem o desespero, eles são vazios, são outros seres
Quero ser como eles, não gracioso,
E sim, sem gosto, amargo, mas saboroso
Quero me afastar do mundo odioso,
Das pessoas que atraem as outras para o poço.

Eu sinto medo da realidade, da malandragem
Me resta a humildade, com um coração que bate com vontade
Pela cidade eu vejo, testemunho a carnificina
Dos produtos que infeccionam e contaminam várias vidas
Que aprisionam seus hospedeiros em ruas sujas e fedidas
Eu tenho medo, anjos, peçam um novo dilúvio,
Pois essa história foi mal escrita.

 
Autor
AteopPensador
 
Texto
Data
Leituras
211
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
6 pontos
2
2
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
TNF
Publicado: 03/01/2018 03:33  Atualizado: 03/01/2018 03:38
Super Participativo
Usuário desde: 18/02/2010
Localidade:
Mensagens: 100
 Re: Aos Anjos
Um texto carregado de verdades, compartilho destes mesmo pensamentos. Ótima leitura que fiz aqui.


Obrigado e parabéns.

Enviado por Tópico
Volena
Publicado: 03/01/2018 12:14  Atualizado: 03/01/2018 12:14
Colaborador
Usuário desde: 10/10/2012
Localidade:
Mensagens: 12514
 Re: Aos Anjos P/AteopPensador
Para o Espírito apaziguado e esperançoso...quem não deve não teme! Gostei muito do poema, fique com os anjos, Vó