https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

Soneto do Sapo Ladrão

 
Open in new window
Sapo Ladrão

Um ditado antigo e verdadeiro
cadeia é para preto, pobre e puta
no Brasil é um fértil canteiro
e o STF favorece esta conduta

Abriram as portas do inferno
o STF soltou os colarinhos brancos
ladroes saem com seus caros ternos
aplaudidos por otários de bermudas e tamancos

Roubam milhões e não tiram cadeia
enquanto o desemprego e a fome
desgraçam a nossa despedaçada nação

O sapo barbudo entre a multidão passeia
enquanto a corte de cegos engolem
pão com mortadela e suco de limão.

Alexandre Montalvan


 
Autor
montalvan
Autor
 
Texto
Data
Leituras
250
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
8 pontos
6
1
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.