Poemas : 

Doçura

 
O fascínio desta manhã leva-me a recordar a suavidade da vida.
Doce e terna, suave e delicada é a presença do Amor em meu colo.
E eu quero amar. Amar mais que ontem. Amar mais e mais e trazer esse amor à tona para que a sua vibração abrace todos os Seres que me rodeiam.
Canto a verdade. Canto a ternura. Canto a doçura do tempo sem limite que se faz brando e quieto.
Canto a alegria do novo e do que ainda não se manifestou.
Sou feita da água fresca que revigora as intenções.
Sou feita do amor Divino que todo o tempo me abraça e embala os meus passos.
Preciso da sensação da alma viva, cheia de Deus, derramando sobre mim a seiva vital da existência.
Preciso do Seu beijo no meu coração e dos Seus dóceis sussurros no meu imo.
Acredito na renascença de novas flores que perfumam o caminho com delicadas notas.
Acredito no Amor Eterno em cada ser senciente que transforma vidas e abraça a humanidade.

 
Autor
MelPimenta
 
Texto
Data
Leituras
364
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
3 pontos
1
1
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 22/08/2022 13:05  Atualizado: 22/08/2022 13:05
 Re: Doçura
Um poema encantador, doce onde os sentimentos se afloram em uma intensidade plena ao mais belo amar, martisns