Poemas, frases e mensagens sobre flores

Seleção dos poemas, frases e mensagens mais populares sobre flores

O que quero

 
  O  que  quero
 
Do mundo não quero rancores
Do mundo não quero as dores
A malidicencia e, rumores
Não quero o caos e,nem bolores
O verde que te quero e,os odores
Do mundo quero as cores
Do mundo quero as flores
Do mundo...riso e os amores!

Nereida
 
  O  que  quero

HOJE...

 
HOJE...
 
HOJE...

Hoje trago nas mãos
flores frescas para oferecer.
Quem por aqui passar
leva nas suas perfume.

Saudades me embalam,
deixo-me levar na balada
da canção feita serenata
cantada pelo estudante de Coimbra!

Ai!Ai! A vida que já não fáz sentido,
desejada é a partida
e o tempo que não chega...

Hoje era um bom-dia
para se apagar o sentido
da vida que não tem fim!

Findando o dia
levo comigo a esperânça,
nas madrugadas cansadas,
das noites mal dormidas,
pensando no que já perdi!

O tempo tem o seu tempo e,
Eu também tenho o meu.
A vida também tem o
seu tempo de viver na terra brava!

Sou flor tenho vida.
terei o meu tempo de viver e
de germinar para renascer
na primavera distante...

LuisaZacarias 16-02-2015
 
HOJE...

Uma tela romanesca

 
     Uma tela romanesca
 
Amanhã haverá novo dia
Na certeza de que desabrochará um universo
Uma tela romanesca,um jardim com flores, pássaros gorjeando, mar brilhante de cores verdes, suas gaivotas saudando e,agraciando o sol.
Um quadro perfeito:--Uns vão ,outros vem, alegrias, despedidas, abraços.
O canto do amanhecer. Melodia com muitas notas,uma verdadeira sinfonia!
O riso, e o nascer de crianças.
Milagre da vida! eu faço parte dessa
alegoria.

Nereida
 
     Uma tela romanesca

Flores incógnitas

 
Flores incógnitas
 
 
Flores incógnitas

AMOR FEITO DE RENDA

 
Apenas um segundo,só, são séculos não vividos contigo.
São sombras numa vida de sorrisos em que vivemos.
Pois sabes que o meu coração é tanto, tanto teu amigo
E quando não estamos juntos no vazio nos perdemos.

Temo que algumas nuvens negras te possam esconder.
Sombras essas que esconderiam a esperança e o amor.
Quando estás ao meu lado sabes o nosso amor enaltecer
És a minha vida, a minha alma és o Sol que nos dá calor.

Folgando o corpo cansado da nossa insanabilidade
Demonstrei por momentos as minhas belas fraquezas
Fraquezas que o amor tem mas que deixam saudade.

As mais lindas orquídeas acompanham o meu amor.
Eu as ofereço com o meu amor todo feito de renda.
Pois eu quero que o meu amor em ti seja minha dor.

A. da fonseca
 
AMOR FEITO DE RENDA

"Fogo no olhar" - Soneto

 
"Fogo no olhar" - Soneto
 
"Fogo no olhar" - Soneto

Quero o presente inaugurado em flores
Esse enroscar de corpos e almas presas.
Quero o fogo que promete nas madrugadas
Sem pudor, escancarar nossas certezas.

Quero o sonho que abre um jardim na alma
Onde colho poesias que enchem de beleza
Que apascenta os bichos das minhas selvas
Quero toda euforia a perfumar com leveza.

Quero o beijo que o tempo tardio devorou
Os teus transeuntes quero nas minhas ruas.
Toda festa e folia que dissipa a tristeza.

Quero a pele dourada, que o sol beijou.
Flores vicejando, a emprestar delicadeza.
E no olhar, pra sempre essa chama acesa.

Glória Salles
 
"Fogo no olhar" - Soneto

SEDE DE AMOR ( ll)

 
SEDE DE AMOR ( ll)
 
“Viver sem Amor é como viver
em um deserto sem nenhuma flor
A felicidade escapa entre os dedos
como a areia fina e quente...”

Por favor clique na imagem
 
SEDE DE AMOR ( ll)

Envia apenas...uma flor, em pensamento...

 
Porquê flores e velas num
Ritual de romarias?

Quem partiu...

Agrada...e agradece...

Que seja apenas enviado…
Uma flor envolta num pensamento de amor...

A todos... a minha em registo fica, num pensamento de amor...

*Cõllybry
 
Envia apenas...uma flor, em pensamento...

Era quase fim de tarde...

 
Era quase fim de tarde...
 
Quase fim de tarde!

Uma brisa suave...

De repente: Ventos...

Zoom, Zoom...

A cantiga do vento.

Folhas secas rodopiando

Era um novo alento

O perfume trazido

Pelo vento...

Como de costume.

Eram as pétalas das rosas

...De fino olor que consigo

Trouxe as mariposas - tantas

Que dançavam, movia – se digo...

Como bailarinas!

Era quase fim de tarde...

Quando um vento passou

Deixando as dançarinas!

Imagem - Google
 
Era quase fim de tarde...

Um Adeus

 
Cheguei, toda eu era ternura!
Mas logo vi com amargura
E as açucenas me vieram dizer;
Porquê as rosas deixáste morrer?
Também as margaridas cheias de penas
E os goivos murchos, de coração partido
Me falaram, tal qual as açucenas.
Morreram as petúnias, por te teres ído!?
Me aprontei a matar-lhes a sede.
Mas era tarde, foram morrendo de calor
E agora só há tristeza nos meus olhos. Vê-de!?
Na verdade nesta despedida houve dor.

A jacarandá está verde! Mas nega-se a dar flor!
E os orvalhos também disseram adeus, sem rancor.
Só as hortências esperaram por mim, resistiram ao calor.
Mais a um cantinho ainda encontrei as capuchinhas
E bem ao lado, as zínias suas vizinhas.
Prepara-se agora o cacto para sua flor abrir
Bem à noitinha quando chegar o luar
Só prara ver o meu olhar sorrir.
Sabendo que eu vinha, que estava para chegar.
Também a buganvília estava aborrecida!
Por não saber o que fazer à Vida.
E a palmeira? Essa estava bem altaneira!
Olhando lá de cima a vizihança
Nem bulia...sem vento, pois era dia de bonança.
Espalhavam música as cigarras cantadeiras
Bem escondidas nas dálias, ou nas folhas das trepadeiras.
E no céu nuvens escuras de lágrimas contidas
Hoje choram comigo, com saudade
das minhas rosas perdidas.

rosafogo
Ausente alguns dias, confrontei-me com muitas flores já mortas e outras já a despedirem-se.
 
Um Adeus

Jardim Secreto

 
Jardim Secreto
 
Jardim Secreto
by Betha Mendonça

Fico sentada aqui na varanda
Olhos de ver a grama crescer
Parada diante da vida que anda
Lágrimas regam o entardecer

A noite chega nublada e branda
Ventos e chuvas de bem-querer
À terra que mui molhada manda
Ao Jardim Secreto florescer

As folhas e galhos em demanda
Pedem às flores tudo esquecer
E unidas se abracem em guirlanda
Para perfumar o anoitecer

*Imagem Google
 
Jardim Secreto

Caminhar na alma

 
Saiu sozinha. Meteu-se no seu carro.
Acelerou, como sempre fazia naqueles dias em que queria que o mundo a deixasse em paz.
Gostava de carros potentes que a levassem rápido ao “seu cantinho da solidão”. Desceu a serra alimentando o prazer de fazer e desfazer as curvas.
Depressa, chegou ao mar.
Estava revolto e espumava a sua ira em gigantescas ondas brancas.
Nem sequer havia sol. Estava tudo deserto, como ela queria.
Sentou-se numas rochas e sentiu-se dona de si.
Caminhou no fundo da alma e encontrou as suas flores preferidas.
Estavam murchas de tristeza. Regou-as com lágrimas.
Sorriram-lhe e arrebitaram. Tinham saudades da sua atenção. Sorriu também.
Em paz consigo própria (mas não com o mundo), ali ficou olhando o mar…
 
Caminhar na alma

Nascem flores nas minhas mãos

 
Toco a tua pele macia.
Sinto que nascem flores
Nas minhas mãos.
São pétalas perfumadas
Com odores
Do teu corpo
Após ser inundado
Pelas ondas tresloucadas
Da minha paixão
Vadiando em ti,
Sem rumo
E sem razão.

Poema do meu 2º livro: "azul que não se sabe se é de céu ou de mar"
 
Nascem flores nas minhas mãos

castelo de pétalas

 
naquele castelo de pétalas vive a rainha das flores
estes prados que atravessamos são repletos de sono
vibra nestas ervas a esperança de pontes de sonho
aspergi sobre mim o pólen dourado das maravilhas d' amor

asas de borboleta são os olhos do tempo
observando a cor com que a luz se distribúi pelos seres

penhascos distantes rumorejam os mares vibrantes que deixamos
para nos embrenharmos nas florestas seguindo as ninfas escarlates

estudos de rubor
quando ele desenhou um exército infindo de bandeiras e aço bramindo
dirigindo-se sobre ela para conquistar seu amor

um exército inteiro pelo coração de uma donzela...

o cálice que acolhe a gota de orvalho
e a guarda ao pássaro de plumagem dourada
sobe no céu com a estrela cruzando os ventos
 
castelo de pétalas

Pétalas soltas

 
 Pétalas   soltas
 
Guardarei minhas lágrimas
Para o final
Guardarei as flores do
Meu quintal
Gota por gota,pétala por pétala
Vestirei meu avental

Vesti a carapuça
Engoli minhas palavras
Palavra por palavra
Engasguei,cantei,rezei
Dançando,rodopiando
Pelo salão

Vivendo e aprendendo
O que a vida ofereceu
Sonhos distantes,sonhos inteiros
Ou despedaçados, levados
Como leves pétalas soltas
À espera do final !!!

Nereida
 
 Pétalas   soltas

Entre Papoilas

 
Entre Papoilas
 
Abro a porta,
Percorro os campos descalça,
Abro os braços…

Como é bom sentir-me em ti e correr,
Libertar-me de mim e perder pensamentos, esquecer,
O que fui, o que vivi e o que poderei conhecer,
Percorrer estes suaves campos que me sorriem,
E que não me deixam morrer!

Ah! Como gosto de sentir a brisa,
Que me envolve e me balança,
Que faz das papoilas suas bailarinas na sua dança,
Já coradas com as vestes que esvoaçam na esperança,
De se soltarem perante Gaia em mudança.

Ah! Tristeza libertina que fugiste!
Que outrora em mim esculpiste,
A estátua em meu campo que gritava pela glória!
Em tempos tiveste a tua vitória,
Mas agora eu corro e perco-te em minha memória!

Ah! O Sol que queima minhas faces,
Na expectativa de um doce beijo,
Que o contempla nos meus sonhos, nos enlaces,
Que faz reluzir a minha pele, num corpo que se desnuda,
Gritando pela Felicidade, pelo Amor e por essa Ajuda!

Como é bom soletrar o Amor,
Que me despiu por entre belas papoilas,
Balançar por entre brisas e cor,
Rejuvenescer em mim o caule e a flor,
Adormecer vigiada pelo Sonhador.

Fecho os olhos…
O Sol ainda queima,
Despede-se com um Beijo.

Marlene

Read more: http://ghostofpoetry.blogspot.com

____________________________________________________

Um poema que contempla a natureza, os campos, as flores... E as papoilas, que adoro! E nesta altura do ano, enfeitam os campos para os meus olhos!

Abraços e Felicidades.
 
Entre Papoilas

Sinto falta

 
Sinto falta de atender o telefone e ouvir que ligou
apenas pra dizer que estava com saudades
sinto falta de receber flores com um cartão
dizendo palavras carinhosas
sinto falta de caminhar de mãos dadas na calçada
sem perceber nada do que se passa a nossa volta
pois tudo o que interessa esta ali conosco
sinto falta de quando trocávamos olhares indiscretos
sinto falta de ficar agarradinha sem pensar em nada
sinto falta de ouvir aqueles sussurros em meus ouvidos
sinto falta do sorvete que tomávamos no banco da praça
sinto falta da sessão pipoca do seu lado no sofá
sinto falto do toque suave daquelas mãos em minha face
sinto falta daqueles lábios macios em minha boca
sinto falta do desejo que sentias ao me tocar
sinto falta até da espera do ônibus onde
eu não via o tempo passar
resumindo eu sinto falta de te namorar
 
Sinto falta

Coisas da Primavera

 
Coisas da Primavera
by Betha M. Costa

Canta feliz colibri,
Já não estou tão só,
Grita o bem-te-vi,
Responde o curió!

No tapete de grama,
Desfila o girassol,
Na parede em trama,
A papoula toma sol.

O brinco-de-princesa,
Baila alegre ao vento,
Com rosa vermelha acesa,
E o cravo fica ciumento...

De tão florido o jardim,
Sobe na grade a hera,
Lança perfume o jasmim,
Para saudar a primavera.

Canta feliz colibri,
Já não estou tão só,
Grita o bem-te-vi,
Responde o curió!...
 
Coisas da Primavera

HAIKAIS I

 
HAIKAIS I
 
HAIKAIS I

Flores no jardim,
margaridas belíssimas.
Lindo nascer do sol!
 
HAIKAIS I

Mãe da Primavera

 
Mãe da Primavera
 
Mãe da Primavera
by Betha Mendonça

Adubarei de amor à terra macia,
Para as rosas da primavera,
Aquelas que brotam do afeto,
Quimeras a ornar meus jardins...

Aguardarei suas delicadas pétalas,
Tingirem-se com cores da vida,
Espalharem olores nos campos,
Aos horizontes dos meus sonhos...

No verde salpicado de flores,
Coloridas vestes sobre a grama,
Entoarei mil cantos de alegria,
À morte do inverno das aflições...

Com as mãos de carinho de mãe,
Semearei bem-me-queres ao solo,
E afagarei com cuidado aquele belo,
Para que abundem no meu peito,
Imensos buquês d’amores-perfeitos.

*Imagem do Google
 
Mãe da Primavera