https://www.poetris.com/
 
Poemas -> Introspecção : 

Além dos limites do eu

 
Há flores num espaço aberto
Molho com a minha saliva, as pétalas roxas
Cubro com os meus lábios, os caules já avermelhados

Há um lugar ermo, amparo de um sonho distante
Ergo os braços ao encontro de um punho fechado
Há um pensamento abstracto a roçar no sobrado onde me deito

Bajulação de um momento
E eu...figura desenhada nas tábuas polidas pelo tempo

Há nas memórias a antemanhã que me diz - Sim !
Um amontoado de células vivas, amarrotadas no sótão dos afectos
Que me diz - Não !

A dor contrai-se perante o som agudo, onde o existir é um puro manifesto
Mas há um corpo deitado na acalmia da terra, coalhando o sereno da noite

Sobre o dorso um caminho estreito
Na longitude dos braços, um carreiro oblíquo
Nas pernas, a fortaleza a caminhar para o vazio ainda virgem
No peito, um batimento incerto como um relógio a emendar o tempo
No rosto, as rugas escancarando a única certeza das estátuas caídas
Nos olhos, dois sinais que indicam um olhar a perder-se no escuro

Ali se propaga e se desmembra por todos os quadrantes do seu universo
Ali se entrega ao submundo e se cruza com os fogos que o consomem

E eu, atendendo à nova teoria do pensamento
Escondo-me
Rendo-me aos contrários
Sustento o manto que me cobre a alma

Há no topo da montanha, um sem-fim de terra
Ponto de passagem a um corpo que balança sob as nortadas baixas
Encontros que espelham a dor
Desencontros ameaçadores das fugas por entre dentes
Uma boca que reluz no escuro

(Um quilate de ouro a mais na dentição genuína e demolida na boca do mundo)

Há um sonho que acorda a madrugada
E eu... póstuma constelação à espera de outra marca do tempo:
- Que me conte os ossos e me endireite o corpo
- Que me remende a sorte, para eu caminhar a Norte
- Que me reconte as sobras que ficaram perdidas
nos bolsos e me refaça o meu inverso

E o mar...
Sempre o mar a galgar sobre a terra orvalhada
Sem resistir ao mundo que o fez mar salgado

Tempero dos que falham no ponto
Onde o lusco-fusco se fez vida
Alem dos limites do eu...
 
Autor
ÔNIX
Autor
 
Texto
Data
Leituras
1883
Favoritos
4
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
56 pontos
24
0
4
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
apsferreira
Publicado: 06/10/2010 11:28  Atualizado: 06/10/2010 11:28
Colaborador
Usuário desde: 27/12/2009
Localidade: Ponta Delgada - Açôres - Portugal
Mensagens: 1614
 Re: Além dos limites do eu
Um poema belíssimo,
belíssimamente escrito,
muito bem estruturado,
que gostei de ler
verdadeiramente.


Enviado por Tópico
Clarisse
Publicado: 06/10/2010 17:31  Atualizado: 06/10/2010 17:31
Da casa!
Usuário desde: 24/09/2009
Localidade: aqui
Mensagens: 392
 Re: Além dos limites do eu
Por mais que beba destes tragos, continuo com sede. Esta, o prolongamento da fome que me consome, me devora sem hora. Lá o tempo não se conta como aqui... dizem... Para "Além dos limites do eu"...

É preciso dizer que adorei?!
Beijo,
Clarisse


Enviado por Tópico
Massari
Publicado: 06/10/2010 19:35  Atualizado: 06/10/2010 19:35
Colaborador
Usuário desde: 07/12/2009
Localidade: Sertãozinho/SP
Mensagens: 1089
 Re: Além dos limites do eu
um poema belíssimo na sua construção e nos sentimentos que transbordam e do qual me aproprio
sincero abraço


Enviado por Tópico
Nanda
Publicado: 07/10/2010 10:49  Atualizado: 07/10/2010 10:49
Colaborador
Usuário desde: 14/08/2007
Localidade: Setúbal
Mensagens: 11172
 Re: Além dos limites do eu
Dolores,
Tu sempre superas os limites do eu, a tua poesia é absolutamente transcendental.
Beijinhos
Nanda


Enviado por Tópico
Sterea
Publicado: 07/10/2010 11:00  Atualizado: 07/10/2010 11:00
Colaborador
Usuário desde: 20/05/2008
Localidade: Porto
Mensagens: 3397
 Re: Além dos limites do eu
Entre o ser e as palavras, a capitulação da consciência sangra o sacrifício do sentir. E o que nos transcende, não é mais do que o que nos iguala no nascer... e no morrer.

De ler e reler. Pelo que nos subjaz e pelo que nos transcende.

Tera beijo.


Enviado por Tópico
Liliana Jardim
Publicado: 07/10/2010 12:19  Atualizado: 07/10/2010 12:19
Luso de Ouro
Usuário desde: 08/10/2007
Localidade: Caniço-Madeira
Mensagens: 4527
 Re: Além dos limites do eu
Ola Dolores

Alem dos limites do eu existe outro eu que quer se fazer sentir...


Há um sonho que acorda a madrugada
E eu... póstuma constelação à espera de outra marca do tempo:
- Que me conte os ossos e me endireite o corpo
- Que me remende a sorte, para eu caminhar a Norte
- Que me reconte as sobras que ficaram perdidas
nos bolsos e me refaça o meu inverso


Sempre bela e reflexiva a tua poesia, onde se marca a diferença de ser poeta.

Beijinhos
Tudo de bom para ti poetisa


Enviado por Tópico
Henricabilio
Publicado: 08/10/2010 10:31  Atualizado: 08/10/2010 10:31
Colaborador
Usuário desde: 02/04/2009
Localidade: Caldas da Rainha - Portugal
Mensagens: 6963
 Re: Além dos limites do eu
Continuamente transgredimos limites...
mas dentro deste universo que somos nós próprios,
é legitimo e saudável que tal aconteça:
Todo o instante pertence à descoberta,

Um abraço0!

Abilio**


Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 08/10/2010 10:39  Atualizado: 08/10/2010 10:39
 Re: Além dos limites do eu
Onix.

Como não consegui separar um fragmento mais belo do belo, levo-o por inteiro.

Bjs.

Ulysses


Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 08/10/2010 11:13  Atualizado: 08/10/2010 11:13
 Re: Além dos limites do eu
há flores num espaço aberto
e rumores bem guardados
na distância limite-um deserto
c/flores no fundo destes lagos-
poemas


Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 10/10/2010 10:12  Atualizado: 10/10/2010 10:12
 Re: Além dos limites do eu
Pois é Dolores! Perante a magnificencia dos olhares deste poema que dizer? A grandeza descreve-se? Tem paralelo?. Olhares que se cruzam no infinito dos corpos. Almas que se rendem ao mundo continuado das sombras do além. Existem rios e mares num mundo mesmo ao lado de Nós.

Beijo azul


Enviado por Tópico
ângelaLugo
Publicado: 12/10/2010 18:16  Atualizado: 12/10/2010 18:16
Colaborador
Usuário desde: 04/09/2006
Localidade: São Paulo - Brasil
Mensagens: 14956
 Re: Além dos limites do eu p/ ÔNIX
Olá querida poetisa Dolores

Na transcendência do eu aqui está
em versos maravilhosos uma reflexão
divinamente bem descrita...
Belo...Belo amiga

Grande beijo de carinho e amizade


Enviado por Tópico
RaipoetaLonato2010
Publicado: 15/10/2010 15:24  Atualizado: 15/10/2010 15:24
Colaborador
Usuário desde: 13/03/2010
Localidade: Paulínia-SP
Mensagens: 2655
 Re: Além dos limites do eu
Um poema denso e intenso, com imagens que invadem a alma de quem lê e absorve cada sentimento guardado.Saudações.