https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

fragilidade

 
a figurinha surgiu,
ternamente moldada
por mãos meigas
desejando vida
e a luz de estrelas
de um sorriso nascente

protegeram-na do frio
com desvelo desmedido
embalando sonhos
com encanto incontido
que das mãos transbordava

subitamente
o barro cedeu
esboroando-se em fragmentos,
areia solta a verter
sem que os dedos impotentes
a conseguissem conter

assim aconteceu
quando o teu sorriso vibrante
por dentro se fechou

 
Autor
pAuLoGaLvAo
 
Texto
Data
Leituras
794
Favoritos
1
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
16 pontos
8
0
1
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
girassol
Publicado: 13/12/2011 20:30  Atualizado: 13/12/2011 20:30
Super Participativo
Usuário desde: 02/10/2011
Localidade: Lisboa mesmo ao lado...a levo de braço dado.
Mensagens: 194
 Re: fragilidade
Lindo o teu poema!
A vida é feita de sonhos e revezes,
e assim também ela se vai esboroando.

Abraço Poeta
grata por partilhar.


Enviado por Tópico
Avozita
Publicado: 13/12/2011 21:59  Atualizado: 13/12/2011 21:59
Colaborador
Usuário desde: 08/07/2009
Localidade: Casal de Cambra - Lisboa
Mensagens: 4531
 Re: fragilidade
Olá Paulo,
benvindo ao Luso.

Parabéns pelo poema.

Antonieta


Enviado por Tópico
Maria Verde
Publicado: 15/12/2011 17:07  Atualizado: 15/12/2011 17:07
Colaborador
Usuário desde: 20/01/2008
Localidade: SP
Mensagens: 3544
 Re: fragilidade
Dedos imcompetentes, o eu lírico se acusa.. mas não seria a areia fina demais?
são apenas deambulações que o teu belo poema incita

Abraço Paulo

MV


Enviado por Tópico
Moreno
Publicado: 15/12/2011 17:11  Atualizado: 15/12/2011 17:11
Colaborador
Usuário desde: 09/01/2009
Localidade:
Mensagens: 3486
 Re: fragilidade
há uma cadência a desprender-se das palavras que envolve a leitura.

um abraço