https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

Cadência

 
No vazio das horas vejo a noite chegar.
Os dias passam como se não existissem.
Dormente é assim que estou no ritmar preciso de uma lenta e repetida cadência.
O tempo te afasta pra tão longe, pensar em você é sentir o amor e toda a dor da sua ausência.
Quem dera ser a dona do tempo para lhe ordenar que cada instante nosso fosse eterno.
Que na imortalidade dos sentimentos verdadeiros me desses a lua e todos os astros, mas tudo que tenho é o meu sonhar
e as palavras que sigo em rastro.
Caminho onde vislumbrei o paraíso da beleza do amor,
em que me fez dos seus jardins linda flor.
Hoje padeço na aridez dessa terra infértil e dos
espinhos desse triste inferno.

 
Autor
Aline Lima
 
Texto
Data
Leituras
1171
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
3 pontos
1
1
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Transversal
Publicado: 17/04/2012 05:05  Atualizado: 17/04/2012 05:05
Membro de honra
Usuário desde: 02/01/2011
Localidade: Lisboa (a bombordo do Rio Tejo)
Mensagens: 3755
 Re: Cadência
e como os meus olhos ficaram em "dos espinhos desse triste inferno"
e
"no vazio das horas
que o tempo te afasta.
que cada instante nosso fosse eterno
hoje padeço na aridez
(e) os dias passam como se não existissem,
repetida cadência"

Nostálgico o seu texto, mas imensamente belo. Obrigado.

Abraço-te