https://www.poetris.com/
 
Sonetos : 

Vestígios do mapa da missiva obvia

 



Não erro se digo ter olhar estranho, até mesmo ao escolher o visual,
aqui há lâmpadas e esmeraldas, fundos de garrafa, o nariz quebrado.
Ninguém visitou o arquipélago, deserto a cada dia passante e global,
Não erro se digo ter olhar estranho, até mesmo ao escolher o visual,

No pátio recebe o diploma, mapa da missiva obvia do vestígio final
ao longo da onda verde, encosta o rosto que todos dizem quadrado.
Não erro se digo ter olhar estranho, até mesmo ao escolher o visual,
aqui há lâmpadas e esmeraldas, fundos de garrafa, o nariz quebrado.

Obstetras que saem das banheiras sem medo de desafiar o quintal
finalmente podem transportar íons sabendo que é benefício alado.
É vivendo com leveza que lentamente se percebe fragrância sensual
Obstetras que saem das banheiras sem medo de desafiar o quintal

Nos prados grassa ignorância, distante flui a sombra sobrenatural,
a vida felizmente, é finita, é dever morrer se atônito e deformado.
Obstetras que saem das banheiras sem medo de desafiar o quintal
finalmente podem transportar íons sabendo que é benefício alado.





 
Autor
FilamposKanoziro
 
Texto
Data
Leituras
284
Favoritos
1
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
10 pontos
0
1
1
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.