https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

falo da implosão do silêncio

 
implodiu o silêncio em silêncio
entre flores exangues
num solo que de encharcado se extingue
com um intenso gosto magenta.

a língua mordeu, intensa,
ao passo que as cordas vocais,
essas, doem sempre mais
numa forma de voz que morre criança.

ai voz!

que dona feroz dos calados,
dos mudos fechados
entre portas pretas e pesadas,
estanques...
que no fundo até abrem
mas arrojam no chão ao abrir,
abrem sulcos num solo outrora encharcado
que se extingue entre flores exangues
depois de uma implosão de silêncio em silêncio.

Valdevinoxis



Nas troikas não há camaradas e da camaradagem não nascem troikas.


 
Autor
Valdevinoxis
 
Texto
Data
Leituras
603
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
3 pontos
3
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Tália
Publicado: 07/06/2008 00:08  Atualizado: 07/06/2008 00:08
Colaborador
Usuário desde: 18/09/2006
Localidade: Lisboa
Mensagens: 2503
 Re: falo da implosão do silêncio
xiiiuuuuu!!!

não acordes o silêncio

Enviado por Tópico
Fhatima
Publicado: 07/06/2008 03:46  Atualizado: 07/06/2008 03:46
Colaborador
Usuário desde: 12/02/2008
Localidade: Joinville - SC
Mensagens: 3389
 Re: falo da implosão do silêncio
Olá Poeta!
O silêncio se faz necessário, principalmente quando estamos no meio de pessoas críticas, muito belo teu pensar!
Abraços!
Fhatima

Enviado por Tópico
Amora
Publicado: 09/06/2008 23:40  Atualizado: 09/06/2008 23:40
Colaborador
Usuário desde: 08/02/2008
Localidade: Brasil
Mensagens: 4763
 Re: falo da implosão do silêncio
Tua escrita é sempre singular.
Eu leio sempre, pela riqueza que ela carrega.
Aqui ainda mais atraente.

Amora