https://www.poetris.com/
 
Acrósticos : 

Mais uma balada

 
A mente galopa desenfreada
O espaço do imaginário é infinito
Na busca incessante do eco de um grito
Produz o que fazer na fuga ao nada.

Igual a nota de uma flauta já tocada
Que faz parte de um concerto incompleto
O que fica no texto é mais um gesto
Que da vida é mais que uma jornada.

Preferindo o viver compondo o mundo
Com pleno direito de escolher a sua estrada
Negar-se-á aceitar o sono profundo,

Como se ainda tivesse direito a mais uma balada
Escrita em nome do amor a própria vida
pedirá um minuto a mais ao minuto de uma vida desregrada.



Chicão de Bodocongó foi a melhor maneira de homenagear o bairro que moro a trinta anos na cidade de Campina Grande ( Bodocongó ), Paraíba. O meu nome é Francisco de Assis que é acompanhado pelo sobrenome Cunha Metri e faz pouco dias que venho publican...

 
Autor
ChicãodeBodocongó
 
Texto
Data
Leituras
448
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
1 pontos
1
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Garrido
Publicado: 03/01/2009 11:05  Atualizado: 03/01/2009 11:05
Muito Participativo
Usuário desde: 26/04/2008
Localidade: PORTO / AVEIRO
Mensagens: 94
 Re: Mais uma balada
A orquestrar o mundo andam tolos bem sabidos, enquanto os músicos adormecem... Há que acordar e tocar as notas certas. Adorei reflectir este poema....