https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

Não sou nada

 
Não sou nada, tudo posso fazer
Inibições são ecos do passado
Passei p’ra lá do certo e do errado
Não sei se me perdi ou vou perder

Já não sei qual a melhor decisão
Tenho os meus pensamentos em novelo
Se algum acena, não consigo vê-lo
Temo agarrar o que vem mais à mão

E não me venham com compreensão!
Isso é coisa que só finge que existe
(Se estou confusa não me façam triste)
Dentro de mim estou sempre em solidão

Sem saber da minha própria vontade
Procuro em tudo a melhor maneira
Sem encontrar, e fico prisioneira,
P’ra sempre condenada á liberdade.


Fevereiro de 2007


Marta Fonseca

 
Autor
Ophis
Autor
 
Texto
Data
Leituras
548
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
6 pontos
6
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
AnaCoelho
Publicado: 21/06/2009 14:57  Atualizado: 21/06/2009 14:57
Colaborador
Usuário desde: 09/05/2008
Localidade: Carregado-Alenquer
Mensagens: 12082
 Re: Não sou nada
Não sou nada mas sou o que sou na liberdade de ser o que sinto...
Um poema muito bom

destaco por me ter tocado mais em particular

E não me venham com compreensão!
Isso é coisa que só finge que existe
(Se estou confusa não me façam triste)
Dentro de mim estou sempre em solidão


Beijos


Enviado por Tópico
(re)velata
Publicado: 21/06/2009 17:30  Atualizado: 21/06/2009 17:30
Colaborador
Usuário desde: 23/02/2009
Localidade: Lagos
Mensagens: 2181
 Re: Não sou nada
Muito bom poema, em que o "novelo mental" não te tolheu as palavras! Há dias assim, em que não há "compreensão" que nos valha, em que as decisões parecem tomar-nos a nós.

Um beijinho


Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 23/06/2009 20:07  Atualizado: 23/06/2009 20:07
 Re: Não sou nada
Um solidão consciente, existindo a consciência plena de que se é nada e tudo.

Gostei muito

Dolores