https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

Naufrágio

 

Ó, mar torrencial
Sua fúria me toma
Sua fúria me domina
Sua fúria me doma
Ó, mar torrencial
Tua fúria me chama
Tua fúria me convida
Tua fúria me apanha
Ó, mar torrencial
Tua fúria me revolta
Tua fúria me apavora
Tua fúria me desperta
Mas agora me iludo nas profundezas
De um oceano
Desfruto e abuso da solidão
Saboreio o ódio
Envolvo-me com a opressão
Mas se tu sabes que não mereço
Porque persiste em me ajudar
Se tu sabes que não é um direito sobre
O qual contenho posse, deixe-me aqui,
Deixe me afundar
Só não deixe que minha ira afete aos demais
Só não deixe que minha ambição tome conta de
Sua casa, e destrua a paz,
Deixe-me aqui
Eu devo me salvar
Pois só assim irei ver
A paz em sua casa voltar
Algo que escasso desde minha chegada
E que irei restaurar
A paz no mundo ira voltar.



Feito por Edson Felipe de Lima Pereira (meu irmão de apenas 11 anos.. postei sem ele saber kkk)

interpretação dele:

Mar torrencial deve ser interpretado como o pecado, a personagem que narra (ser humano), e a pessoa a quem ele se dirige no final (Deus) (dádiva)
A personagem se sente culpada por destruir o mundo ao se envolver com o pecado e diz a Deus que ela mesma deve restaurar seus estragos e se converter ao seu favor, sem que ele a oriente de modo discreto. No poema Deus deve ser entendido como um dádiva
A parte em vermelho enfatiza a idéia de que a personagem se sente incapacitada de conter uma vida sócial harmônica com os demais ( mundo) (não se sente bem vinda)
A parte em azul dirigindo- se para a dádiva e descrita no texto como algo que ira salva-lo das profundezas do mar. Mas deve ser interpretado a um sentido em que ele diz que não merece as coisas boas traga pelo mesmo, que vai tira-lo da situação em que ele mesmo se colocou (se interpreta como diversas situações)
O locutor no caso e o ser humano. Quando ele refere a casa de Deus ele se refere ao mundo .ao falar que esta iludido nas profundezas do oceano indica que ele se ve em uma situação desesperadora, sem solução, se vê ‘no fundo do posso’

 
Autor
Yas.l
Autor
 
Texto
Data
Leituras
470
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
1 pontos
1
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Norberto Lopes
Publicado: 16/03/2011 23:29  Atualizado: 16/03/2011 23:29
Colaborador
Usuário desde: 15/03/2008
Localidade: Lisboa
Mensagens: 970
 Re: Naufrágio
Acho que seu irmão é mesmo seu irmão; não foi trocada na maternidade, portanto; E promete... promete mesmo!

De Lisboa, com admiração
nl