https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

[ … leva-me pela mão até onde as roseiras bravas

 
.
.
.
.
.
.
.
.
......................................
*************************************


leva-me pela mão até onde as roseiras bravas
tapam as trilhas empedradas. Leva-me

até ao rio que dizias nascer no salso mar,
onde as lágrimas ficavam à superficie,
e um solitário arco-íris escondia os cintilantes refúgios lá longe.

Leva-me assim.

Deixa este corpo exausto, tão singrado sem rota,
arrojar-se do cendrado promontório
sentindo os aljôfares da fria noite.

Leva-me assim.

Quão longe hoje sou dos nossos sonhos pela excelsa
primavera algures no tempo,

e se conseguisse regressar-me um segundo que fosse,
pedir-te-ia:

- leva-me até onde as roseiras bravas libertaram
o aroma teu, que ainda hoje me inunda.


[Leva-me contigo, assim, só].


"Floriram por engano as rosas bravas
No inverno:veio o vento desfolha las..."
(Camilo Pessanha)

http://ricardopocinho.blogspot.com/




experimental, palavras rabiscadas numa Moleskine com prazo de validade.

Há textos que se compactam num determinado ponto, que depois pode ser seguido até ao principio ou até ao fim. E tudo muda então “deixa este corpo exausto... leva-me pela mão”, ou “deixa este corpo exausto... leva-me contigo”
Sim, perco-me, tão ali, por vezes tão cendrado, assim, só (ou somente assim)

“Cendrada luz enegrecendo o dia,
tão pálida nos longes telhados!

Perdem-se as letras

E a dor é evidente – libertada”
(“Evidências, XXI” Jorge de Sena)


singrar – velejar
arrojar - precipitar-se
cendrado – da cor da cinza
aljôfar – (gosto imenso desta palavra pelos significados que transporta) orvalho, lágrimas. Sinceramente podem ser os dois significados depende do sentir de cada um.

ah.... e como as roseiras bravas são perfumadas.


[“do ciclo, as palavras não têm prazo de validade. “ Riva la filotea. La riva? Sa cal'è c'la riva?” (Está a chegar. A chegar? O que estará a chegar?)]
 
Autor
Transversal
 
Texto
Data
Leituras
1165
Favoritos
4
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
40 pontos
8
0
4
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
jessicaseventeen
Publicado: 23/07/2012 13:39  Atualizado: 23/07/2012 13:39
Colaborador
Usuário desde: 04/09/2011
Localidade: Coimbra, Portugal
Mensagens: 920
 Re: [ … leva-me pela mão até onde as roseiras bravas
E
Eu levei(-te)
assim

poesia

Beijinhos com Alma e Coração *

Jessica


Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 23/07/2012 15:08  Atualizado: 23/07/2012 15:08
 Re: [ … leva-me pela mão até onde as roseiras bravas
Magistral. A tua poesia é de um lirismo encantador.

- leva-me até onde as roseiras bravas libertaram
o aroma teu, que ainda hoje me inunda.


Tu poeta és do melhor que o luso tem. Um Orgulho para este espaço.

Beijo azul


Enviado por Tópico
rosafogo
Publicado: 23/07/2012 16:24  Atualizado: 23/07/2012 16:24
Colaborador
Usuário desde: 28/07/2009
Localidade:
Mensagens: 9599
 Re: [ … leva-me pela mão até onde as roseiras bravas
Deixei-me levar no encanto que foi ler-te, lá voltei
aos caminhos perfumados com o odor dasrosas bravas
que ainda trago na lembrança

Concordo com a amiga Fátima,
Poesia que nos faz sonhar! Grande Poeta!
abraço


Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 23/07/2012 20:12  Atualizado: 23/07/2012 20:13
 Re: [ … leva-me pela mão até onde as roseiras bravas
Rosas Bravas*

assim, como toco a noite
levo-te comigo nos dedos mornos
das ternuras enluaradas
assim, só, como um jardim
de roseiras bravas

e levo-me junto
sou palavra inscrita nos gestos
nos gestos de amar
como estrelas perdidas
no meu olhar de mar e luar

levo-te comigo agora
serão dores as tantas palavras?
ou serão amores as letras desenhadas?

não o sei
só sei que estás onde estou
alma ao vento sul
em tons de azuis
alma ao vento norte
em tons de sorte...

e as rosas bravas
são apenas nossos sonhos
perfumados de absolutas metáforas...

levo-te nas minhas mãos emudecidas
nos traços fatigados do meu rosto
das tantas esperas
das tantas singelezas
das tantas poesias ternas.

Karinna*