https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

Ter e não ter...

 
Por vezes sente-se falta,
não se sabe do quê,
só se sente…
Saudade do que não se sente,
uma espécie de mordaça na boca
e um grito calado ensurdecedor.
Um arrepio na pele
que nos traz sabor ao palato,
umas vezes doce nos devaneios que adivinho
outras amargas nas ausências demoradas
Mas até esse amargo sabe bem
porque se sente algo,
e sentir é mais importante.
Trocava esse doce pelo salgado do teu corpo,
o cheiro a algo que não distingo
pelo teu arfar ao meu ouvido
na urgência de ser provada,
sem tempo medido,
só a ânsia…
que me incha no ventre
e humedece o teu querer.
Sentiria a tua falta mesmo que não te conhecesse.


 
Autor
jaber
Autor
 
Texto
Data
Leituras
407
Favoritos
4
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
46 pontos
8
3
4
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
karinna*
Publicado: 12/12/2016 22:03  Atualizado: 12/12/2016 22:03
Colaborador
Usuário desde: 02/09/2016
Localidade: Rio Grande do Sul
Mensagens: 581
 Re: Ter e não ter...
* uma miscelânea de sentidos numa escrita sensorial...na derme do querer.
Adoro esse final...impactante e pleno.
Eu gosto de te ler.
Abraço
K*


Enviado por Tópico
atizviegas68
Publicado: 13/12/2016 22:04  Atualizado: 13/12/2016 22:04
Colaborador
Usuário desde: 09/08/2014
Localidade: Açores
Mensagens: 1105
 Re: Ter e não ter...
Versos que acordam sensações ! Versos que alteiam os sentidos!
Fantástico!
Adorei a leitura.

Um abraço


Enviado por Tópico
Flor-de-Maio
Publicado: 13/12/2016 23:50  Atualizado: 13/12/2016 23:50
Participativo
Usuário desde: 28/01/2010
Localidade: Aveiro
Mensagens: 11
 Re: Ter e não ter...
Falas do ter ou não ter, como se falasses do "Talvez ser, talvez não ser" do poema do mágico Pablo Neruda que disponho a seguir por combinar bem com o teu poema:

Talvez não ser,
é ser sem que tu sejas,
sem que vás cortando
o meio dia com uma
flor azul,
sem que caminhes mais tarde
pela névoa e pelos tijolos,
sem essa luz que levas na mão
que, talvez, outros não verão dourada,
que talvez ninguém
soube que crescia
como a origem vermelha da rosa,
sem que sejas, enfim,
sem que viesses brusca, incitante
conhecer a minha vida,
rajada de roseira,
trigo do vento,

E desde então, sou porque tu és
E desde então és
sou e somos...
E por amor
Serei... Serás...Seremos...

Pablo Neruda

Ah, e o teu poema é doce, mesmo sendo tão sensual. Bj.

Flor


Enviado por Tópico
Jmattos
Publicado: 15/02/2017 14:29  Atualizado: 15/02/2017 14:29
Colaborador
Usuário desde: 03/09/2012
Localidade:
Mensagens: 13839
 Re: Ter e não ter...
Parabéns Jaber
Belíssimo poema!
Levei!
Beijos!
Janna

Enviado por Tópico
Claryssa
Publicado: 15/02/2017 16:12  Atualizado: 15/02/2017 16:12
Muito Participativo
Usuário desde: 08/12/2016
Localidade:
Mensagens: 74
 Re: Ter e não ter...
Muito bom. Parabéns!