https://www.poetris.com/
Poemas : 

solo à capela

 
neste solo
não cabe
nem um eco.

a voz que oiço,
minha,
não caminha para além dos meus pés.

a melodia
que imagino,
evita músicos e seus instrumentos;

alegres lamentos, guardo
e determino, digo.

neste solo
não cabe
nem um eco.

e nos meus momentos a sós
muito penso, de como
será a minha voz...



A minha pátria é a língua portuguesa.
Bernardo Soares
www.poemassagem.blogspot.pt

Saibam que agradeço todos os comentários, de coração...
Por regra não respondo.



 
Autor
Rogério Beça
 
Texto
Data
Leituras
104
Favoritos
1
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
16 pontos
4
2
1
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Gyl
Publicado: 12/09/2017 17:49  Atualizado: 12/09/2017 17:49
Membro de honra
Usuário desde: 08/08/2009
Localidade: Brasil
Mensagens: 12601
 Re: solo à capela
Gosto. Interessante é que realmente não conhecemos a nossa própria voz, por isso estranhos quando a ouvimos numa gravação. Neste solo tuas palavras ecoaram até às plagas brasileiras. Um forte abraço, irmão e amigo das letras!

Enviado por Tópico
AlmaMater
Publicado: 13/09/2017 11:17  Atualizado: 13/09/2017 11:17
Da casa!
Usuário desde: 13/04/2017
Localidade:
Mensagens: 343
 Re: solo à capela
Gostei muito.

coisas da Alma.

bjs

AM

Enviado por Tópico
Volena
Publicado: 13/09/2017 12:08  Atualizado: 13/09/2017 12:08
Colaborador
Usuário desde: 10/10/2012
Localidade:
Mensagens: 10663
 Re: solo à capela P/Rogério Beça
Li e ouvi
soou-me
bem,
a ciência.
É belo
harmonioso
o canto
da inteligência.

Abraço Vólena

Enviado por Tópico
nereida
Publicado: 13/09/2017 21:36  Atualizado: 13/09/2017 21:36
Da casa!
Usuário desde: 27/08/2017
Localidade: São Paulo
Mensagens: 251
 Re: solo à capela
Que bonito! gostei imensamente! Parabéns