https://www.poetris.com/
Sonetos : 

SAGRAÇÃO

 
Tags:  Sonetos 1998  
 
SAGRAÇÃO

Ainda ao pórtico o pé em falso cambaleia,
Mesmo que passo a passo a emoção se iniba.
-- O sonho do profeta é o poema do escriba;
É a sua esperança imensa que o permeia:

Armas ao chão, de mãos livres o homem semeia
Da espada o arado faz; da lança, a foice estriba.
Nos pratos da balança a Justiça mais se liba
Com sementes de Paz lançadas à mancheia!

Luminosa visão, agora e enfim, contemplo!
Ideal supremo ao qual o coração palpita!
Quando d'honra e humildade o mais perfeito exemplo...

Em Christo, eis a verdade absoluta e infinita!
Sobre a pedra angular eu Lhe edifico o Templo
Por cujo altar, na Luz, Seu espírito habita.

Belo Horizonte - 15 08 1998


Ubi caritas est vera
Deus ibi est.


 
Autor
RicardoC
Autor
 
Texto
Data
Leituras
59
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
0 pontos
0
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.