https://www.poetris.com/
 
Prosas Poéticas : 

As pedras da minha aldeia

 
Tags:  11 - 09 - 2009  
 
Continuam de pé, encerrando em si todas as memórias de um passado, já tão distante...
Sobreviventes de um tempo que não existe mais, a não ser nas lembranças de quem ainda não partiu. E já são tão poucos os que restam, dos tantos que conheceram o sabor salgado do suor que lhes escorreu e pingou do rosto...
Tantas histórias de uma vida dura, inscritas nas pedras antigas, a maioria já carcomidas, esfarelando-se em pó, mas que, teimosas, permanecem erguidas ainda, como quem desafia o destino, tão certo como o fim que as espera. Resistindo orgulhosamente, enquanto as silvas, carrascos silenciosos nomeados pelo tribunal da existência das eras, se vão apoderando das suas paredes, esventrando-as lenta e impiedosamente, cumprindo a sentença desse tão cruel destino... até as engolir por inteiro.


Open in new window



*... vivo na renovação dos sentidos, junto da antiguidade das lembranças, em frente das emoções...»

Impulsos

coisa pouca

 
Autor
cleo
Autor
 
Texto
Data
Leituras
632
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
2 pontos
2
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
RoqueSilveira
Publicado: 01/06/2012 12:21  Atualizado: 01/06/2012 12:21
Colaborador
Usuário desde: 31/03/2008
Localidade: Braga
Mensagens: 8081
 Re: As pedras da minha aldeia
Um belo quadro, uma bela foto, diria até um filme a alongar-se daqui para o passado que se adivinha borbulhante desta aldeia que se foi.
Beijo
Roque

Enviado por Tópico
gil de olive
Publicado: 01/06/2012 23:23  Atualizado: 01/06/2012 23:23
Colaborador
Usuário desde: 03/11/2007
Localidade: Campos do Jordão SP BR
Mensagens: 5046
 Re: As pedras da minha aldeia
Espetacular seu texto! Parabens enorme pela bela inspiração!