https://www.poetris.com/
 
Sonetos : 

Um passeio em criança

 
Tags:  medo    vento    árvores    temporal  
 
Open in new window


Um passeio em criança

Em uma manhã de domingo tão ensolarada
Que eu e mais dois irmãos fomos à cidade
Um vento do norte com muita velocidade
Envergava as árvores na beira da estrada

Na volta deparamos com uma tempestade
Com granizo, chuva e bastante ventania
A tarde que era quente passou a ser fria
Molhados, passamos a tremer de verdade

Nesta ocasião ficamos bastante aflitos
Protegemo-nos embaixo dos eucaliptos
Até que esse temporal veio a se acalmar

Isso ocorreu há mais de cinquenta anos
E por Deus, não foram maiores os danos
Nos meus nove anos isso veio a se dar.

jmd/Maringá, 30.07.14


verde

 
Autor
João Marino Delize
 
Texto
Data
Leituras
831
Favoritos
1
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
18 pontos
4
3
1
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
saraabreu
Publicado: 30/07/2014 22:46  Atualizado: 30/07/2014 22:46
Colaborador
Usuário desde: 25/05/2014
Localidade:
Mensagens: 2423
 Re: Um passeio em criança
Um olhar sobre os tempos de criança poeta...entre o temporal poderia ter sido pior o fim, o que não foi o caso, se não fossem os "eucaliptos"...
bj


Enviado por Tópico
velhopescador
Publicado: 01/08/2014 14:03  Atualizado: 01/08/2014 14:03
Colaborador
Usuário desde: 01/03/2013
Localidade: Marília-SP Brasil
Mensagens: 1098
 Re: Um passeio em criança
Olá, amigo poeta

Também tenho histórias de chuva, só que em situações diferentes.
Quando criança, era ver começar a chuva, elá corria eu, curtindo um banho gelado.
Corria, brincava, jogava bola, pois meus amigos tinham a mesma mania, e, no final, já em casa, era um banho morno e uma roupa seca e quente, e lá estava eu , feliz.


Grande abraço.
><>

Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 01/08/2014 14:06  Atualizado: 01/08/2014 14:06
 Re: Um passeio em criança
Todo fato contado em versos desperta minha atenção,
pois revela a vida em poesia viva.
Gostei.