Poemas : 

as minhas mãos

 
para que me servem as mãos?
não consigo abarcar a terra
da vindima à foz de um rio
juntar o pão e as bocas invernais
derrubar distâncias entre o céu e a alma
fazer da palavra a guerra
entre o perto e os rituais.

e se depois da colheita
e do pão na mesa
destilo da uva o Outono
estranho a missa que me enlaça
na paisagem que se enrola
na vida que por mim passa.

junto as mãos como oração
e o céu nunca me ouve.
quando te percorrem, a ti,
pássaro dourado
das minhas noites ternas
não chegam para agarrar-te,
enredadas e inseguras
entre entre a lua e as tuas pernas.
e é,
só a distância de um passo
passo que passa e não anda
mão que não sabe decerto
que a outra mão não manda



RoqueSilveira

 
Autor
RoqueSilveira
 
Texto
Data
Leituras
148
Favoritos
1
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
16 pontos
4
2
1
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Betha Mendonça
Publicado: 04/11/2016 02:08  Atualizado: 04/11/2016 02:08
Colaborador
Usuário desde: 01/07/2009
Localidade:
Mensagens: 6627
 Re: as minhas mãos
Quisera escrever esses versos:

"pássaro dourado
das minhas noites ternas
não chegam para agarrar-te,
enredadas e inseguras
entre entre a lua e as tuas pernas.
e é,
só a distância de um passo
passo que passa e não anda
mão que não sabe decerto
que a outra mão não manda"


Continuas espetacular, moça!
Bjs


Enviado por Tópico
karinna*
Publicado: 08/11/2016 12:29  Atualizado: 08/11/2016 12:29
Da casa!
Usuário desde: 02/09/2016
Localidade: Rio Grande do Sul
Mensagens: 395
 Re: as minhas mãos
*tua Poesia traz nas mãos punhados de sabedoria de vida...a sabedoria de nunca estarmos prontos, de nunca desistirmos e por isso versamos VIDA.
Beijoka* de super fã