https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

Presépio de Barro

 
Eu vi um menino
na tromba de um elefante
Tirei tantas elações
que o presépio ficou andante
O menino estava de tanga
Mil animais a venerar
A fralda era gigante
na selva onde ele foi dar
Não sei quem o moldou?
Seria Deus a reclamar
Ou uma obra do destino
com tanta gente a passar
Pressenti uma estrela
Bem dentro no meu magicar
Só desejei que o menino
A um lar fosse chegar
Não se partisse a caminho
Lá fosse o barro lascar



Feliz Natal


Cristina Pinheiro Moita /Mim/

 
Autor
mim
Autor
 
Texto
Data
Leituras
519
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
0 pontos
0
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.