https://www.poetris.com/
 
Poemas -> Surrealistas : 

Gotejar

 
Tags:  surrealismo    devaneios    mistérios  
 
Gotejar
 
Meio à insônia destas noites ouço um incansável gotejar das calhas
Vem contar o fim das chuvas. Som perdido de uma história secreta
Tão cheia de retratos sem história, de uma sempre mesma paisagem
Está cheia de monótona saudade com um quê de mistério e solidão

E se um dia só restar o silêncio, deixando todas histórias por contar
Nem ao menos os cantos tediosos dessas gotas ao chão despencadas
Nem mesmo as falsas lágrimas que do beiral dos olhos se desprendam
Que chora pela ausência do existir, em um tempo sem início ou final

Meu então anestesiado coração verá este poema feito de sombras
E de palavras cansadas e desfrutará de seu sentido subentendido
Achará a paz que prescinde o real escrito nas linhas do horizonte
Tão ironicamente presente, paradoxalmente supérfluo e resignado




Dor e angústia protagonizam o show
Quando a noite vem, a mágica se faz
Nasce o poema das entranhas feridas
Então, abro as asas e voo ao infinito.



 
Autor
Mr.Sergius
 
Texto
Data
Leituras
209
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
0 pontos
0
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.