https://www.poetris.com/
Poemas : 

A Porta Aberta

 
Foi-se embora sem se despedir.
Nem ao menos um adeus deixou.
Não teve dó nem piedade de mim.
Naquele dia um homem chorou.

Deixou a porta aberta e uma ferida.
Nem sequer voltou para trás a face.
Foi-se embora numa estrada comprida
Igual raios de sol num final de tarde.

Fiquei a chorar na cama e na vida
Umedecendo o lençol e travesseiro,
Adentrando-me tamanho desespero
Que nada ousou dizer minha língua.

Vi-te dissolvendo entremeio brumas,
Desaparecendo em um denso nevoeiro...
Não pude conter o comando dos dedos
Que, por si só, esticaram a tua procura.

Tombei, abatido em noites escuras.
Em prantos me perdi em pesadelos,
Em ondas envolventes de espumas
Que me arrastavam pelos cabelos...

Blasfemei contra Deus e os homens.
Maldisse contra os céus e os infernos.
Incinerei meu poema de mil versos.
Apaguei a tatuagem com teu nome.

Foi-se embora sem se despedir.
Nem ao menos um beijo deixou.
Lágrimas tantas saíram de mim
Que um outro oceano se formou.



Gyl Ferrys

 
Autor
Gyl
Autor
 
Texto
Data
Leituras
66
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
1 pontos
1
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Jorge-Santos
Publicado: 11/02/2019 09:34  Atualizado: 13/02/2019 12:24
Subscritor
Usuário desde: 24/02/2017
Localidade: Setúbal-Azeitão, Portugal
Mensagens: 1582
 Re: A Porta Aberta










obrigado por isso,



A inspiração é uma porta que não cabe a nós fechar nem deixar aberta, ela se fecha ou abre a seu bel-prazer em qualquer local do sistema respiratório, inspiremos poesia pelos olhos, de brônquios bem abertos