https://www.poetris.com/
 
Poemas : 

Nos Braços Da Paz

 
Por mais que uma fuga eu tente,
Que eu diga não querer-te mais
Tudo que te falo é falso, é falaz
E não há verdade que se sustente.

Por mais que pareça estar ausente
Que eu transmita meus tristes ais
Creia-me, amor, eu te amo demais
E é tão triste não estar aqui presente.

Ah, Tempo feroz, efêmero e fugaz!...
Pai que cria e devora os próprios filhos,
Que se deixa enganar por podre pedra!...

Quebra essa sequência infinita, quebra!
Deixe que eu trace e trance meus ladrilhos!
Deixe que eu dormite nos braços da Paz!


Gyl Ferrys

 
Autor
Gyl
Autor
 
Texto
Data
Leituras
610
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
17 pontos
9
4
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 17/11/2014 22:26  Atualizado: 17/11/2014 22:26
 Re: Nos Braços Da Paz
Lindoooooooooo! Estupendo!


Enviado por Tópico
visitante
Publicado: 17/11/2014 22:26  Atualizado: 17/11/2014 22:26
 Re: Nos Braços Da Paz
Lindoooooooooo! Estupendo!

Enviado por Tópico
Maryjun
Publicado: 17/11/2014 22:49  Atualizado: 17/11/2014 22:49
Membro de honra
Usuário desde: 30/01/2014
Localidade: São Paulo
Mensagens: 6401
 Re: Nos Braços Da Paz
Olá Gyl.

Parabéns!

Um texto lindo!
Eu amei e te parabenizo.

Abraços,

Mary Jun


Enviado por Tópico
Semente
Publicado: 18/11/2014 00:07  Atualizado: 18/11/2014 00:07
Colaborador
Usuário desde: 29/08/2009
Localidade: Ribeirão Preto SP Brasil
Mensagens: 8696
 Re: Nos Braços Da Paz
Teu soneto me surge tão fluente, e envolvido em leve nostalgia,que nele me deixo. "Ah, Tempo feroz, efêmero e fugaz!"

Me curvo, com admiração!

Beijinhos Gyl !
!


Enviado por Tópico
Keithrichards
Publicado: 18/11/2014 19:24  Atualizado: 18/11/2014 19:24
Colaborador
Usuário desde: 17/03/2014
Localidade:
Mensagens: 2465
 Re: Nos Braços Da Paz
O tempo que tudo constrói e desmancha, também nos traz alegria na presença da pessoa amda e nos deixa tristes na saudades da ausência, que seus rogos de descansar nos braços da paz sejam ouvidos, muito bom!