https://www.poetris.com/
 
Poemas -> Amor : 

LUZ E TERNURA

 
Ocasionalmente o silêncio é quebrado
Pelo eco das tuas palavras doces e brandas
Por vezes ainda vejo a tua face no sol da manhã
Uma memória que o tempo não quis levar

Por vezes vejo o teu sorriso colado à aurora
A doçura do teu beijo marcada nos meus lábios
A planura suave do teu corpo sob a minha mão
E eu tremo, tremo na emoção de um encontro ansiado

Ocasionalmente a escuridão é iluminada
Pelo teu olhar cheio de luz e ternura
Fico solto na brisa da manhã, pendente num sonho
Por vezes sinto-te, sinto-te como nunca senti ninguém

O teu perfume, o teu amor espalhado na frieza do meu corpo
Por vezes fico assim parado a pensar, a sorrir, a explodir por dentro
Por vezes a doçura das tuas palavras arrepiam-me
Um arrepio de prazer, uma sensação de imortalidade

Fico fechado na memória de ti, do teu abraço terno
Certo que a porta se fechou, mas que a janela continua aberta
Para dela jorrarem os raios de sol da manhã
Para que o sonho não morra, para que o amor não parta.

BRUNO CARVALHO 2007

 
Autor
bcarvalho
Autor
 
Texto
Data
Leituras
892
Favoritos
0
Licença
Esta obra está protegida pela licença Creative Commons
2 pontos
2
0
0
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.

Enviado por Tópico
Tália
Publicado: 22/05/2007 13:24  Atualizado: 22/05/2007 13:24
Colaborador
Usuário desde: 18/09/2006
Localidade: Lisboa
Mensagens: 2503
 Re: LUZ E TERNURA
Ocasionalmente fico assim sem palavras pela enorme beleza do teu texto...
Benvindo ao nosso cantinho

Abraço
Tália

Enviado por Tópico
MagnoRobertoAlmeida
Publicado: 22/05/2007 13:38  Atualizado: 22/05/2007 13:38
Colaborador
Usuário desde: 14/05/2007
Localidade: Rio de Janeiro
Mensagens: 567
 Re: LUZ E TERNURA
"Ocasionalmente o silêncio é quebrado
Pelo eco das tuas palavras doces e brandas"
"Ocasionalmente a escuridão é iluminada
Pelo teu olhar cheio de luz e ternura"

Lindo isso, caro poeta.
Gosto de poemas que expressam a sensibilidade da alma e o teu é fantástico.
Parabéns poeta Bruno.
Um grande abraço.