https://www.poetris.com/

✿ Descem os lobos à aldeia 🐺

 
✿ Descem os lobos à aldeia 🐺
 
Descem os lobos à aldeia
Em noite de lua cheia
Uivam ferozmente
Fecham-se as portas, as janelas das casas
Com medo da alcateia, quando na verdade
Fechamos as portas à vida
Às gentes que nos pedem ajuda
Somos egoístas, maus de caráter
Temos medo de tudo e de todos
E não é dos lobos
Sente-se o cheiro da lenha a arder
Das lareiras cheias de gente ou vazias do nada
Se tiver de morrer, morro de pé
E não subjugada a mentes hipócritas
Falsas com o coração de pedra
Pessoas que fazem as coisas
Ou dão com segundas intenções
Maldosas e muitas vezes ignorantes de si próprias
Que gostam de humilhar e escravizar os outros
Descem os lobos da serra à aldeia de noite
À chuva, ao vento
Ficam as marcas na neve, como punhais
Que deixam feridas no peito e na alma.

Perdemos o respeito
A liberdade
E somos devorados
A culpa não é dos lobos

🐺ღ╭✿ ♥🗡️
Isabel Morais Ribeiro Fonseca
 
✿ Descem os lobos à aldeia 🐺

Estou triste, desiludida e cansada 🌹

 
Estou triste, desiludida e cansada 🌹
 
Estou triste, desiludida e cansada
Das dores que me castigam
O corpo e a alma
Das injustiças, de tanta falsidade
E a hipocrisia do ser humano
De ver as pessoas a viver de aparências
De ver tanta desigualdade
Entre ricos e pobres
De ver tanta maldade, que fazem às crianças
De tanta incompreensão no trabalho
Das falsas promessas dos nossos governantes
De conviver com pessoas egoístas
Maldosas fúteis e inúteis
De ver prosperar a impunidade
A nossa justiça é cega
De ver tanto sofrimento, no abandono dos velhos
De tanto desamor, entre pais e filhos
De ver tanta falta de fé e de esperança
De ver portas fechadas para quem mais precisa
Que mundo é este em que nós vivemos?

Lavo a minha alma triste
Num terror latente
De gelado mar de tanta desilusão.

🌻🌹
Isabel Morais Ribeiro Fonseca
 
Estou triste, desiludida e cansada 🌹

TERRA QUENTE 🍁TERRA FRIA

 
TERRA QUENTE 🍁TERRA FRIA
 
"TERRA QUENTE"

Trás-os-Montes
Terra fria, gelada
Com mantos negros de lã
Sente-se amor
Sente-se a morte
Vence-se o luto
Das noites escuras
Da dor das gentes
Cravos espetados
Sentimentos singelos
Inocentes, marcados
Lágrimas perdidas
Amargas e sentidas,
Terras geladas e frias
Quentes como as castanhas.

TERRA FRIA

Este Trás-os-Montes
Onde deixei a minha alma
Reino encantado de cores
De aromas, de amores
Entre as fragas, dos ecos das vozes
Perdi as letras, os poemas
O tempo, o velho, o novo
A paz, o sono, o costume
Deixei de sonhar, mas não de amar
Neste Trás-os-Montes
Onde deixei e perdi a minha alma.

ESTE TRÁS-OS-MONTES

Trás-os-Montes, terra fria
Quente como as castanhas
Das azedas que deixam saudade
Com os mantos feitos de lã
Vê-se um mar de fragas
Num oceano megalítico
Onde ninguém fica
Indiferente certamente
Ama-se, chora-se, ri-se
Vence-se a dor, o luto
De sentimentos singelos
Na saudade da branca neve
Paisagem do lar que se deixa
Para trás dos segredos da natureza
Terra maravilhosa de um mar de pedras
Entre a solidão singela
Reza-se o terço, as alminhas
Sagrada com mil certezas, sepultado
No saborear no pão nosso de cada dia
Este maravilho nevoeiro que ao longe
Se vê entre as giestas, fumeiro
Que mata a fome a quem trabalha a terra
Deste maravilhoso reino que é Trás-os-Montes.

Quando eu morrer
Não chorem
Ponham antes
As mais belas flores
Que tiverem
Então serei poesia
Escrita num belo livro.

🍄 🍁

Isabel Morais Ribeiro Fonseca.
 
TERRA QUENTE 🍁TERRA FRIA

Esta depressão que me queima a alma 🌺

 
 Esta depressão que me queima a alma 🌺
 
Esta depressão que me queima a alma
Seca-me o sangue, seca-me o coração
Aperta-me o peito contra uma rocha
Fere-me o corpo com a escuridão
Deste castelo que é esta vida
Maldita e bela
Com fome e tudo e nada
Sinto-me gelada
Arder no fogo de um tronco da árvore
Do poço profundo que é a minha alma
Olho para mim e não me reconheço
Já não sei quem sou
Serei um pedaço de carne podre
Sem sangue sem alma
Neste mundo selvagem e feio
Como uma peste de inveja e ódio
Sinto a minha alma gelada e morta
Como se fosse as águas do rio
Choram de amor, choram de frio
Choram por tudo e por nada.

╭•⊰ 🌺

Quando me vi ao espelho
Não reconheci a minha alma
╰⊱♥⊱╮💕╭•⊰ 🌺
Isabel Morais Ribeiro Fonseca
 
 Esta depressão que me queima a alma 🌺

✿Mulher transmontana força da natureza ღ

 
✿Mulher transmontana força da natureza ღ
 
Mulher transmontana
Força da natureza agreste
Amora silvestre da terra das fragas

Discreta afável onde esconde o choro
Vestindo de negro num riso franco
Saudade luminosa como um farol

De uma força e suor na luta do dia a dia
Transformado em pão nos campos da solidão
Mulher doce forte que grita ao vento toda a sua dor

Beleza exterior com o dom da vida
Guerreira que luta pelo amor adoça a tempestade
No seu peito, da razão, da unidade familiar

Do coração, da força, da coragem
Mulher transmontana enfeitada ao luar.

A minha Mãe é a mais bela
De todas as mulheres transmontanas
O seu berço, o seu lar é Trás-os-Montes

Aonde quer que se encontre, traz
Nos olhos a luz do sol a arder
Rios de sangue a correr de esperança

Mulher forte, corajosa e mãe-heroína
Chama de esperança, força da natureza
Sem louvores ou medalhas, de agreste

Sentimento pela raiz das tuas dores
Que te criou entre o frio da noite
E o calor do sol de extrema saudade

Bendita sejas mulher transmontana
Pelas fragas da tua beleza natural
Nesta terra de giestas floridas de ternura.

🍂╭•⊰ 🌺
Isabel Morais Ribeiro Fonseca
 
✿Mulher transmontana força da natureza ღ

*Paixão amor sentido falado ღ

 
*Paixão amor sentido falado ღ
 
Beijo estranho que roubou o tempo
Poesia dançante entre os dedos
Sedenta de sonhos, de vida
Lentas memórias e recordações
Descrito num sótão de lembranças
De pontos e linhas escritas no infinito
Secaram as flores, brilhavam as noites
Saliva doce, boca beijada, poeta arrependido
Sedenta de reticências, abrigo das palavras
Suspiro solto, perdido no mar, grito estéril
Afogada espera de um beijo ardente no silêncio
No tempo de um compasso de um no outro
Doce, relento, madrugada de cristais
Amanhecer lento na penumbra da saudade
Gostava de ser poeta para escrever no teu corpo
Todas as palavras que eu não consigo dizer-te♥
No calor dos teus braços meu amor quero e queria
Viver e sonhar onde navega a minha ousadia
Deixando o meu corpo a arder na loucura desta paixão
Assolapada queima-nos os sentidos na lareira
Arranjamos uma maneira de viver, viver todos os sonhos
Perdidos, perdidos com contigo meu amor
Nessa fogueira dos nossos carinhos, escuta o mar
Junto ao meu coração no calor dos teus braços meu amor
Quero e queria viver, sonhar e amar ♥
Paixão, amor, sentido, falado, fechado, sozinho, arde de desejo
No fogo de uma paixão, assolapada, vivida, vulnerável, tolerante
Paciente, compreensiva, sentimentos mais puros
Num beijo roubado de flores na saudade em doce paixão

♥👒
Isabel Morais Ribeiro Fonseca
 
*Paixão amor sentido falado ღ

Canta o galo em cima do telhado 👒

 
Canta o galo em cima do telhado 👒
 
Canta o galo em cima do telhado
Velho de podre a cair aos pedaços
Dormem os campos serenos
Agitam à passagem de uma suave brisa
Que acompanham os meus passos
Dormem sossegados já sem desassossego
Dos dias de férias passados na aldeia
Das idas à barragem do Azibo
Água fresca, limpa, de pedras e fragas
Caminhos de lama, trilhos de fragas, de pedras
Pelas ruas de casas caídas em ruínas
Onde as migalhas de pão caíam no chão
De soalho, tábuas corridas
Onde outrora não havia fome
Havia trabalho, trabalho duro, de sol a sol
Onde o pão não faltava e alegria também não
Ouvia-se o riso e o cantar das gentes
Das crianças a ir para escola alegres e felizes
Com um pedaço de pão na algibeira
Agora é só dor da partida, partida permanente
Onde vai-se e não voltam
Casas em agonias e tormentos onde
Os velhos gemem as suas mágoas, os seus desenganos
Embriagam-se nas dores que os atormentam
Prostram-se cansados pelos anos
Choram no banco da igreja, no banco de um jardim
Perdem o rumo da vida, da alegria
Como se navegassem sem mastro, sem leme
Das aldeias perdidas esquecidas e dizem
Estes velhos sábios das nossas aldeias
Hei-de morrer algum dia.

As saudades
São flores na alma
🌹👒
Isabel morais Ribeiro Fonseca
 
Canta o galo em cima do telhado 👒

✼Deus deu ao homem o tempo✼

 
✼Deus deu ao homem o tempo✼
 
Deus deu ao homem o tempo
O tempo das horas da vida
A vida sem tempo de horas
As horas que são preenchidas
Milhares delas que desfilam
Selva de pedras, fragas do sentido da vida
Pelo menos, para quase todo mundo
Pedras, fragas que respiramos
Selva, caixotes onde é que moramos
É assim as grandes cidades
Nesta selva onde há de tudo
Lobos que reinam, e devoram tudo
Macacos que roubam tudo de todos
Minhocas de trilhos que atrapalham a vida
A vida é mantida cada um no seu canto
Mas ao mesmo tempo todos juntos e misturados
Nesta selva de pedra, de fragas
Selva de urtigas e silvas humanas
Onde vive um bicho chamado homem

O Tempo deu ao homem
O tempo que ele queria
O homem não aproveitou o tempo
O tempo que devia

🌹🌺

Isabel Morais Ribeiro Fonseca
 
✼Deus deu ao homem o tempo✼

Sou uma sereia que anda perdida 🌹

 
Sou uma sereia que anda perdida 🌹
 
Sou como um barco perdido
De um pirata adormecido
Que vive encantado pela sua bela sereia

Que canta nos seus ouvidos e gela-lhe o coração
A tempestade e o vento balançam o navio
Com o seu corpo vazio e sem emoção

Perdido de amor está pela bela sereia
Que não vê que está perdido
Neste mar encantado do seu amor e paixão

Lá vai a sereia perdida anda à deriva num barco
Sem rumo, nesta tempestade de amor e de desilusão
Levando consigo um coração frio, gelado

Com medo das palavras servir, partilhar, verdade
Liberdade, amigo, sorrir, falar, ouvir, dialogar
Compreensão, confiança, compaixão, ternura, amar

Anda à deriva, a nossa sereia neste barco sem rumo
Com medo das palavras fortes que tocam
O coração gelado que derrete com medo

Somos como areia e o mar, juntos e enrolados
Quero amar-te como as nossas bocas sabem amar
Queria ser uma sereia para ver as estrelas do céu

Beijar-te esta noite a saber a sal
Amar-te como os salpicos,de água salgada na tua pele
Encontrar-te no mar e perder-me na areia

Quero amar o cheiro a maçã da tua pele
O brilho dos teus olhos castanhos
O sorriso dos teus lábios da tua boca

A minha pele com a tua, os meus olhos nos teus
Os meus lábios em ti com cheiro a hortelã na tua boca
Sou uma doce sereia que anda perdida no mar.

🌸👒
Isabel Morais Ribeiro Fonseca
 
Sou uma sereia que anda perdida 🌹

[Porque Amores Perfeitos Não Existem]

 
[Porque Amores Perfeitos Não Existem]
 
[Porque Amores Perfeitos Não Existem]

Num silêncio fingido
Com gosto de nuvem,
[Trago uma flor!]
Rabiscando saudade,
Com gosto de vinho tinto.

Uma brisa leve
Acaricia as flores no jardim
[Flores secas]
Mal cuidadas e mal amadas...

[Porque amores perfeitos não existem.]

Aromas de sonhos serenos
Que entram pela janela
Com cheiro de vida...
Amores, amoras, maçãs e hortelãs...

Borboletas famintas, cata ventos pardos
Bailarina [atrevida e risonha]
Que dança com a vida
Feito estrela cintilante.

[Dança feliz]
De modo que o seu dançar seja eterno
Pelo menos até nascer o sol.

Por Ro Fontana

p.s

[Tão óbvio
...e tão utópico!]
 
[Porque Amores Perfeitos Não Existem]

Tarde quente de outono de tanta beleza🌻

 
Tarde quente de outono de tanta beleza🌻
 
Tarde quente de outono
Caiem as folhas secas desta tarde
Tarde pintada, tão colorida, acabou o verão

Folhas caídas pintadas e belas
Sem terem pintor, é a mão de Deus
Que as pinta, nunca as vi com tanta cor

Se é de morte ou de vida, só Deus sabe
Não é comigo que sou uma pobre alma
Que gosta de ver, as folhas das vinhas

Das árvores nuas e despidas
Eu sei é que nunca vi tantas cores
Tanta beleza nas folhas caídas no chão
🍂 🌻
Caminho pelas folhas do outono
Este outono cheio de cores
Ramos partidos das mágoas da vida

Tantas vezes perdidas, esquecidas
Onde mergulho nos aromas e cheiros
Das folhas secas das árvores

Fragrâncias perfumadas deste tempo
Passado de lembranças perdidas de amores
Outono nostálgico de prazer e paixão

Sentidas na alma, no corpo ferido
Pelos ramos nus das árvores contidas
Época da nossa vida pelas folhas soltas de dor!

Cada folha é uma pétala
de Outono na cor do nosso coração
e que as folhas secas façam sorrir a nossa alma.

🌺🌻
Isabel Morais Ribeiro Fonseca.
 
Tarde quente de outono de tanta beleza🌻

O vento sopra como uma trovoada 👒

 
O vento sopra como uma trovoada 👒
 
 
O vento sopra
E chega de repente
Como uma trovoada
Nada pode prendê-la
Nada pode impedi-la
Nada pode sufocá-la
A minha alma
É como uma casa assombrada
Com paredes desbotadas
E lembranças perdidas
A chuva foi aumentando
Com a neblina de um nevoeiro
Intenso como o corpo perdido
Que quer refazer as forças
Regando as folhas
E as flores soprando a brisa
E bebendo as minhas culpas
Como veneno
Que seca o meu coração
Escrevendo as minhas cartas
O meu começo o meu caminho
Do silêncio desta noite e desta trovoada.

👒

👒🍂🌻
Isabel Morais Ribeiro Fonseca
 
O vento sopra como uma trovoada 👒

DOURO DOCE 🌻

 
DOURO DOCE 🌻
 
Margens calmas
Vinho do douro
Javali feroz
Lamaçal esquecido
Barro escuro
Terra quente
Gemido de dor
Vindimas das gentes
Tempestade fria
Chuva de pedras
Noites sombrias
Telhado de ardósia
Terra escondida
Tímido destemido
Sangue entranhas
Porco matança
Lebre fugida
Sentimento esmagado
A videira que chora
Com saudades do podador
Vinhas entre escadas de tantos socalcos
Ó douro doce que és tão lindo
Com as tuas vinhas não há sitio mais bonito
Deste nosso amado Portugal
É nas margens calmas do douro
Que as videiras
Dão o tão saboroso vinho do Porto
Os barcos rebelos navegam com sentimento
transportando as pipas de vinho do Porto
Que tanto gostamos de beber
Douro doce como as suas uvas
O rio corre com força
Desejando ferozmente o mar
O rio Douro é uma poesia
As suas águas lavam
A alma a quem o ama 🌻

O amor é como uma montanha
Sobe-se a amar e desce-se a odiar

🍁🌻

Isabel Morais Ribeiro Fonseca.
 
DOURO DOCE 🌻

Subo a serra sou loba, sou mulher 🌻

 
Subo a serra sou loba, sou mulher 🌻
 
Subo a serra no silêncio da noite
E ouço um uivo que ecoado pelas trevas
De noite sou uma loba com alma

Sem medo do dia, que transformo-me
Numa mulher insaciável de amor
Não divido o meu homem com ninguém

Sou uma mulher de um homem só
Egoísta, possessiva, apaixonada
Debaixo da minha pele eu escondo uma loba

Feroz, atrevida, escrava, amante, amiga
Transparente, misteriosa, imperfeita
O meu sangue é vermelho nas noites claras da lua

Sou loba, sou mulher, sou a chuva do rio
Sou o céu e as estrelas nas noites de luar
Sou como o fogo insaciável que arde na fogueira

E é nos teus braços que sinto o calor
Subo a serra no silêncio da noite
Neste teu corpo quente para saciar a minha sede.

Amo mais do que digo
Digo mais do que penso
Penso mais do que quero

✍ 🌹

Isabel Morais Ribeiro Fonseca
 
Subo a serra sou loba, sou mulher 🌻

Tribos de Escritores de Sites da Internet (rebostagem - ¬¬)

 
Tribos de Escritores de Sites da Internet (rebostagem - ¬¬)
 
Imagem Google

Tribos de Escritores de Sites da Internet (rebostagem - ¬¬)
by Betha Mendonça

Esse não pretende ser um trabalho científico.É fruto da observação desta amadora presunçosa sobre a diversidade, boa em qualquer ramo da atividade humana, nos sites de literatura na grande rede.

Na escrita onde as matérias primas dos textos são imaginação, conhecimento e criatividade; a heterogeneidade de padrões, pensamentos, atitudes e outros são excelentes fontes de aprendizado. Tentarei dar face a alguns desses grupos ou tribos:

Religiosos – têm fé exacerbada e inabalável.Falam de crença, luz, esperança. A graça Divina e os poderes no Ser Supremo estão de alguma forma presente nos seus trabalhos que enchem os olhos e coração de quem os lê de paz.

Góticos – costumam usar avatares assustadores e/ou deprimentes.São profundos. Dizem das mazelas do nosso interior e da humanidade. Transitam no céu e inferno, na crença e descrença com a velocidade do Trem Bala. Suas obras, em alguns despertam consciências adormecidas, em outros (mais sensíveis) o desejo do suicídio imediato, que é controlado com a leitura dos escritores religiosos.

Comadres – são flores de criaturas. Falam da natureza, de sentimentos e sensações femininas. Aos mais letrados soam piegas e sem nenhum talento.São literalmente amigas do peito.De vez em quando têm umas rusgas seguidas de pedidos de desculpas e lágrimas.De tanto que distribuem carinhos e beijinhos entre si, nem são consideradas escritoras por alguns de seus pares que acham que essa Tropa deveria estar em sites de relacionamentos e não de literatura.

Intelectuais – escrevem como em hieróglifos.Suas letras são complicadas, com teor carismático, metafísico, difícil ao entendimento dos reles mortais.Só eles e sua inteligência acima da média conseguem compreender e discorrer sobre suas grandes obras. Não ousam sujar seus literatos olhos em trabalhos, que segundo sua ótica e medida ,não possuam pelo menos dois dedos de profundidade.Alguns têm cocientes de inteligências, sapiência e egos tão grandes que deveriam abrir sites de literatura só para eles. Nesse seleto grupo também existem os compadres que fazem entre si homenagens em formas de versos e prosas.

Novatos – são escritores que vão do medíocre ao mais puro brilhantismo. Chegam com suas letras onde já existem tribos antigas e mesmo que escrevam um texto no nível de grandes autores da literatura mundial têm leituras que não atingem nem dois dígitos. Depois de algum tempo engrossam um dos grupos já formados e vêem chegar outros que passarão pelas mesmas provações.

Populares ou Estrelas – de tão famosos no sítio na maioria das vezes nem precisam escrever um “A”. Postam um espirro e explodem o contador de acessos! Têm números espetaculares de comentários a dizer sobre o quanto o espirro é importante para limpeza da árvore respiratória, de quanto foi rítmico, belo e bem colocado aquele espirro. Alguns se emocionam e vão às lágrimas.

Ainda existem outros agrupamentos: os omissos, os mureiros, as fifis... Que são tão importantes dentro do contexto de um sítio literário internético quanto os já citados e serão matéria de outro ensaio.

Aos que se perguntam como ela pode ser tão crítica e pretensiosa, e, vir aqui “catalogar” estilos e pessoas?
Simples: olhei para dentro de mim e encontrei no meu interior um pouco de cada um deles e delas!
 
Tribos de Escritores de Sites da Internet (rebostagem - ¬¬)

O rio transborda de dor chuva de fragas 🌸

 
O rio transborda de dor chuva de fragas 🌸
 
A chuva cai intensamente
O rio transborda nas margens
Lameiros cheios de água donde
A ponte velha de fragas vai submergir

As lágrimas descem na saudade
A solidão perdeu o ar e não se consegue ver
A alma chora o que é inevitável
O coração sofre como a chuva que cai

Onde o rio transborda de dor
Num mundo de ilusão, sem sentimentos
Um temporal de emoções , voz amarga
Gasta de esquecimento, ferida no horizonte

A chuva cai o rio vai transbordar na ponte
Das lágrimas perdidas
Na dor, com um sinal de esperança
A angústia que falo que o amor às vezes

Faz sofrer demais ausência de alguém
Aquela que por ti sofre na solidão
Angústia tão grande deixa-me tão vazia
Faz parar no tempo tira-me a alegria

Faz-me ter medo lindo segredo
Jamais esquecerei jamais o terei
Sei que nada sei sinto o que falei
A dominar o olhar que descobriu não ouviu

Poderá me tirar a angústia de que falo
Que sinto, que vejo sou a tempestade que passa
O tempo que foge a flor de um jardim
O aroma do café um perfume forte

Uma carta rasgada as dores de alegria
As lágrimas de esperança na chuva de fragas

🌸👒
Isabel Morais Ribeiro Fonseca
 
O rio transborda de dor chuva de fragas 🌸

Meu amor o perfume das flores╭•💘⊰

 
Meu amor o perfume das flores╭•💘⊰
 
Meu amor o perfume
Das flores invade o meu ar
São como as gotas do orvalho
Que ilumina a escuridão da noite
O teu olhar e o teu sorriso
Uniram-se para iluminar o meu dia
O sol das minhas noites
Voar contigo nas asas da paixão
É viver uma grande emoção
Adormeci nos teus braços
E esqueci os meus anseios
Amor o meu corpo deseja
Lateja, ama, rasteja, chora
Reclama tantas vezes o peso do teu.

“O amor não tem nome
O amor molha-me os olhos
O amor aquece-me o coração
O amor é grande o suficiente
Para me deixar sem fôlego
O meu amor és tu”

╭•💘⊰
Isabel Morais Ribeiro Fonseca
 
Meu amor o perfume das flores╭•💘⊰

O meu destino é amar-te 💕

 
O meu destino é amar-te 💕
 
Mais uma noite de espera
Pois o meu destino é amar-te
Olho o espelho do nosso quarto
E vejo reflectido o teu rosto

Viajo na amplidão de meus anseios
E ouço a tua voz em devaneios
Fica na minha pele e não só, nos meus desejos
Quero fundir-me contigo

Perder-me nos teus braços e que dure para sempre
Fica com a minha ternura nas tuas mãos
Beija-me com carinho para que seja eterno
Deixa-me amar a tua alma

Quero viver cada momento, cada segundo
Cada minuto com o bater do teu maravilhoso coração
Mais uma noite à tua espera
Pois o meu destino é ser amada

Eu sou a chuva que lança a areia
No deserto do saara
Eu sou a sereia que dança
Destemida e encantada

Sou um barco à deriva sem leme ao Deus-dará
Sou como a luz do amor que não consegue brilhar
Sou a lua que se esconde entre as flores e os ramos
E o jardim fica escuro de repente a sufocar

Perco o rumo da ilusão
E o caminho, é uma fogueira ardente
Abrasadora, inflamada e sorrateira
Sou como um monge que mata a sua sede

Na mais pura água da fonte
Vou procurar o amor e não vou parar
Mesmo que o coração doa
E dos meus olhos derramar uma lágrima

Só quando o coração parar de bater
O pensamento mais nada for
Vou beber a água cristalina da fonte
Como uma sereia no fundo do mar.

🌻💖 🌼

🌻💖 🌼
Isabel Morais Ribeiro Fonseca
 
O meu destino é amar-te 💕

Hoje soprou um vento doce com imensa ternura 💕

 
Hoje soprou um vento doce com imensa ternura 💕
 
Hoje soprou um vento
Doce com imensa ternura
Os pássaros cantavam melodias doces
Da primavera florida e bela que é a vida
Olhaste para os meus olhos famintos de amor
Passaste as mãos pelo meu cabelo, pelo meu corpo
Saímos felizes e livres em direção
A uma cabana à beira do rio
Era velha mas aconchegada
Passámos por uma árvore cheia de frutos
Faminto que estavas, onde as nossas bocas
Se uniram num beijo molhado
Colheste-me como um fruto de uma árvore
Estavas sedento de paixão
Estavas cheio de sede, bebeste-me como água
Marcaste os teus dentes na minha carne e eu gostei
O meu corpo era como caminho sinuoso sem volta
Tomaste-me nos teus braços fortes
Agarraste-te à minha cintura
Encostaste o teu peito ao meu
Sentistes o meu coração inquieto
Mexeste nos meus cabelos e perdi-me
De gemidos, ardentes
As nossas bocas uniram-se e tudo está
Consumado deste amor que alimenta esta paixão
De muitos anos de vida em comum
Fazer amor contigo é das coisa mais belas
Que Deus nos proporcionou
Gosto da tua maneira dominadora
Que sabe amar e entregar-se a uma mulher
Sendo eu a felizarda
Por ter um homem que me ama com loucura e paixão.

💕
Isabel Morais Ribeiro Fonseca.
 
Hoje soprou um vento doce com imensa ternura 💕

As rosas não falam mas sentem 🌹

 
As rosas não falam mas sentem 🌹
 
As rosas não falam
Mas sentem os espinhos
A dor, a saudade, a perda, a razão
A solidão, o vazio, a escuridão, o olhar
Não seja mau com o coração
Dos outros ou mau de carácter
Às vezes deixo o corpo voar
E esqueço a minha alma em casa
Não dou conta da solidão
Da escuridão, da dor
Dos corpos sem almas
Fechadas, sozinhas
Quase abandonadas
Parece uma prisão, um cesto de ilusões
Corpo sem alma, alma sem corpo
Ás vezes esqueço o corpo em casa
E deixo voar a minha alma.

Às vezes é preciso
Vencer a nós próprios
Para que a alma floresça

👒🌹

Isabel Morais Ribeiro Fonseca
 
As rosas não falam mas sentem 🌹